Feliz 2014!

terça-feira, 31 de dezembro de 2013
Passando para deixar uma mensagem de ano novo para vocês.
Gostei muito de passar este ano no blog postando estes meus textos que surgem do nada em mim e que preciso de um lugar para eles e é aqui.
Agradeço por acompanharem o blog. Espero que possamos nos ver ano que vem por muitas vezes! =)
E que minha inspiração nunca se acabe, para poder render bons textos.
Um feliz 2014 e que ele seja ótimo para todos!
Beijos! Até!




Sessão desabafo

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013
Saindo um pouco dos meus textos hoje.
Tem uma coisa que tem me chateada muito nos últimos dias. Vou contar a história todinha...
Eu entrei em um grupo de divulgação de fics, para conseguir mais leitores para O diário da escrava amada. Este grupo incentiva a fic de um modo meio obrigado. Cada 1 ou 2 dias trocando a história, a escolha é feita via sorteio, e o pessoal tem que ir lá ler, senão fica fora deste sorteio.
Então, é como um desespero para ler porque se não fizer "a minha vez" nunca chega.
Por sorte, as histórias são boas, então não fica chato de ler. =)
Até que no dia 23 de dezembro, eu finalmente fui sorteada. Uma enorme alegria! Pulando e pulando.
Algumas hora depois, a minha alegria virou chateação, ao ver que apenas 3 pessoas haviam vindo comentar, sendo que o grupo tem quase 70 membros.
Achei que tivesse me dado bem, mas me dei mal!
Nessa época de natal praticamente ninguém fica em casa e tem tempo para sentar no computador e ler.
Eu estou me sentindo injustiçada. Porque eu sei que a próxima história sorteada, sem dúvida já no ano que vem, todo mundo vai ler.
Poxa, entrei no grupo para ajudar a minha história, mas continua praticamente a mesma coisa. As minhas expectativas não foram atendidas.
Quando entrei no grupo até fiquei com um pé atrás. Acho que era por isso!
Vou deixar uma mensagem no grupo mostrando a minha chateação.
Sei que foi por culpa da data e também não perceberam isso, porque o grupo é novo.
Eu só espero, sinceramente, que eu seja recompensada.

Desculpe incomodá-los com isso.

Afinal, o que é o natal?

terça-feira, 24 de dezembro de 2013


Afinal, o que é o natal?
Alguns dizem que é o nascimento de Jesus, o que não deixa de ser verdade.
Outros dizem que é o dia que o Papai Noel presenteia as crianças, o que também não deixa de ser verdade. Até que você completa uns 12 ou 13 anos.
Mas uma vez, eu perguntei para um ateu (e adolescente): Para você, o que o natal? E ele me respondeu assim: "É a época em que eu me junto com a minha família e nós trocamos presentes e nos divertimos juntos."
Achei uma resposta muito bonita e verdadeira!  E tenho certeza que devem existir muitas outras respostas para esta mesma pergunta, vinda de pessoas de outras culturas, idades e crenças.
Todas estas respostas se unem e constroem a ideia do que o natal seja. Não é só isso ou aquilo!
Primeiramente, o próprio Jesus não nasceu em 25 de Dezembro, esta data é representativa em relação ao aniversário dele. Serve apenas para mostrar que alguém veio com um propósito, que era esclarecer e ajudar a todos nós.
O papai noel é inspirado em São Nicolau, que era um homem que presenteava as crianças pobres, só não me recordo se ele realmente fazia os brinquedos.
E todos os anos, famílias e mais famílias se reúnem para a ceia de natal.
Contudo, o natal não se resume em comida, comida e presente, presente. (E família, família.)
Vocês já perceberam que a atmosfera, o mundo muda nessa época?
As pessoas são tomadas por sentimentos mais nobres, como a solidariedade, por exemplo.
Já aconteceu de se parrarem guerras por causa do natal.
É um tempo em que todos esquecem os problemas, as inimizades e o resto que existe de ruim. Se reúnem para comemorar seja lá no que elas acreditam e aproveitam este tempo.
Este deve ser o tal "Espírito natalino" do qual tanto falam. Uma pena que ele não consiga persistir e existir durante o ano inteiro. Como as coisas mudariam...
Alias, acho que não respondi a pergunta que fiz lá no início: O que é o natal?
Depende, depende de que faz esse natal. Ele pode ter múltiplas formas e significados para as mais diferentes pessoas.
O natal não pode ter um conceito fechado e que foi criado há muitos séculos.
Quem faz o natal somos nós, que vivemos ele, todos os anos. Seja ele sozinho ou com a família, com ou sem presentes, com ou sem uma religião.
O natal é apenas o natal!  Como você quer que ele seja, é apenas com você!

Protelar animes/qualquer coisa...

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Pois é, eu tenho essa mania de protelar praticamente tudo. Tudo eu acho que posso fazer depois e vou deixando para lá...
Essa mania é feia e de gente muito preguiçosa. (por isso me incluí)
E ela demanda da preguiça de fazer qualquer coisa e também uma má administração do próprio tempo. Duas coisas que eu tenho!
E assim se vai levando... "Ah, deixa para outro dia." "Ah, posso fazer isso amanhã."
E por enrolar tudo acaba não fazendo nada ou tendo que fazer tudo de uma vez.
Algumas coisas não tem problema de se protelar, seja um anime ou uma leitura, são coisas que só ficarão incompletas, mas não há problema se não fizer. As vezes você não está com vontade de fazer e tudo bem!
E quando é algo importante? Salve-se quem puder!
Nessas horas é uma correria sem fim e um desespero tamanho.
Por essas e outras, que neste tipo de protelação, eu prefiro não arriscar e ajo logo. Ai tudo fica pronto em seu tempo!
Se bem que... Sem enrolar ou não, eu continuo desesperada para terminar logo!

Quando faltam ideias...

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013
Sabe aquele momento em que você tem um lapso criativo? Um bloqueio? E nada, mas nada de bom surge como uma boa ideia para desenvolver algo legal.
Primeiro vem a frustração e aquele sentimento de incapacidade, o que é absolutamente normal.
Os escritores também são como pessoas normais e também temos dias ruins e dias em que nada de bom pode sair de nós.
O que se pode fazer? Apenas esperar!
Quando as ideias faltam por um tempo, é porque elas estão se arrumando e vão voltar uma outra hora.
Não é nada que cause o final do mundo ou vai acabar com a vida alguém, é apenas um tempo.  Todos precisam, até as ideias de vez em quando.

Por que matar personagens?

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Olá você, leitor! Deve conhecer alguns da minha espécie, que é muito admirável e tenho certeza que gosta também. Pois é, sou um escritor.
Aquele que dedica horas e mais horas para dar vida as palavras e, consequentemente, a novos mundos e personagens, apenas para te fazer feliz.
Eu sei bem como se sente ao algumas obras do meus colegas (e as minhas também). Porém, não é este o assunto.
Vou falar sobre uma coisa que te deixa possesso quando acontece: A morte de um personagem.
Azar ou sorte? Não sei. Depende do que você sente por este tal personagem. (Não quero entrar em méritos mais profundos). Enfim...
Se odeia, a reação é: Ai morreu, desgraça. Já vai tarde!
Se adora,ama (quer o corpo do personagem nu), a reação é: Por que? Por que logo ele(a)? Oh, vida cruel!
E não me chamem de dramático, a verdade é essa.
Uma outra verdade sobre esta questão de “personagens mortos” é que nós, os escritores, somos chamados de assassinos. De vez em quando somos iguais a criminosos para vocês. Não sei se é bom ou se isso é ruim.
E, sem dúvidas, a pergunta que não sai da cabeça é: Por que fazer isso?
Não se preocupe que eu vou explicar. Só peço um favor em troca: PAREM DE NOS CHAMAR DE ASSASSINOS. (Respira...)
Primeiramente: É que não é nossa culpa. A morte do personagem foi necessária para o segmento da história. Algum motivo ele teve para morrer, merecendo ou não.
Por favor, não sinta ódio mortal de nós. Afinal, às vezes, agradecemos por aquele personagem mala ter morrido.
Segundo: Mesmo o personagem morrendo, ele ainda tem um significado, para a história e até para você (e para mim). Ele já deixou “a sua marca” por lá.
Terceiro: É que os tais sempre estarão vivos dentro de nós. Sempre lembraremos dele, com carinho e amor, com certeza.
Não precisar carregar esta aura maligna da raiva pela nossa atitude. Imagine para nós, que somos os pais destes inúmeros personagens e temos que matá-lo? É como se arrancássemos um pedaço do corpo! Somos tão leitores quanto vocês.
Todos os personagens, finados e não finados, estarão sempre em nossos corações. Eles sempre terão um espacinho lá.
Eu sei que você, leitor, nos ama apesar de tudo. Existem momentos de amor e ódio na nossa relação.
Mas saiba que fazemos algumas coisas, contudo para um bem maior, que seria o fluxo cronológico das histórias e as circunstâncias também.
Posso fazer um dedicatória?
Dedico este (pequeno) texto a vocês, aos meus colegas leitores e acima de qualquer coisa a eles, os nossos queridos e amados personagens que (in)felizmente morreram. RIP.


Anelise Vaz

Crônica feita para o concurso do grupo: Diz que é fã de Fanfic?

Texto Relíquia: Como se dá a transição dos mundos?

quarta-feira, 20 de novembro de 2013
Este é um texto que escrevi em 2009, para um estudo que eu fiz na mocidade (grupo de jovens) no centro espírita que eu frequento.
Achei válido repostar aqui. Dei uma revisada nele e tal. O texto original foi postado aqui. Talvez não entendam nada, mas tudo bem! Boa leitura!

Como se dá a transição dos mundos?

Qualquer mundo está em constante estágio de transição desde o momento em que começa a acontecer sua formação, onde ocorre a junção de todas as substâncias que se juntarão para formar a massa do futuro mundo, uma constante evolução.
Ao surgirem as primeiras formas de vida, ao encanarem os primeiros espíritos, para viverem nesses mundos primitivos, ajudá-lo a evoluir e se evoluírem também, para que ambos passem para o próximo passo. E assim segue até a ultima categoria de mundo: Mundos Felizes.
Para uma morada poder evoluir, a constante transição passa a ser mais rápida, vão sendo varridos os espíritos não aptos a viver nesse mundo novo. E vão reencarnado os espíritos que viverão ali, missionários também vêm para oferecer ajuda e apoio. Ocorrem mudanças físicas também, e assim se completa o processo de transição do tal planeta e prepara-se para o próximo.
No caso da Terra, que sofre o processo de transição para o mundo de regeneração, que é bem lenta, mas se tornou mais rápida alguns anos atrás. A evolução do espiritismo é prova disso!
As pessoas daqui terão como se fosse uma só religião, com todas as "leis" sendo aceitas por todos. Todos com a mesma crença.
Ocorre também uma renovação moral, apesar da violêcia ter aumentado ou existir bastante, isso é para que algumas almas encaranadas tomem consciência, a violência é um modo de rebeldia.
Acontecem combates, desastres naturais para "limpar" o mundo. A rebeldia predomina, mas cada um colhe os frutos que plantou. As leis divinas são claras e não mudam.
A melhor maneira é compartilhar conscientemente dessa evolução, devemos realizar em nós uma reforma íntima, e melhorar nossos valores, aumentar as virtudes e diminuir as imperfeições. 
O sofrimento não precisa nos sensibilizar, para colaborarmos com o bem. Se o fizermos ele se espalhará e acabará ajudando. Não podemos deixar o mal se alastrar ou continuar a crescer.
Só com o bem, a transição ocorrerá e tudo se acalmará.


Anelise Torres Vaz

Parabéns, Minorin!

domingo, 17 de novembro de 2013

Por que eu faço esses tipos de post? Porque a Minorin merece!
Pois é, já é 18 de Novembro no Japão de novo! E é o seu aniversário. Daquela que me inspira e me faz cantar junto com as suas música.
Admito que não só escuto você, mas a minha playlist é lotada só com as suas músicas e ganha de disparada em mim. Afinal, todo santo dia eu começo a cantar Contact do nada e vou puxando uma outra e mais outra.
Não sou a melhor entendedora de japonês e não preciso entender uma só palavra para sentir as suas músicas. As que mais gosto, sem dúvida, são as que escreveu.
Hoje até é um dia especial para colocar você para tocar. Mas para mim, todos os dias é dia de ouvir Minori Chihara. 
Eu espero que continue fazendo o que faz de melhor: Cantar e Dublar. Afinal, a Nagato não é a mesma Nagato sem sua voz nela. Espero um dia poder te conhecer e poder assistir um show ao vivo, que seja no Brasil. Mas, se necessário, irei ao Japão para isso!
Desculpe esse mensagem ridícula de fã, mas você merece!
Minha LINDA DIVA SEIYUU JAPONESA! 
Omedetou, Minori Chihara!

Está tudo na minha mente

sábado, 16 de novembro de 2013
As pessoas costumar dizer que eu sou santinha. Deve ser esse tipo de imagem que eu passo!
Costumo ser sempre quieta e bem na minha, costumo dizer que sou mais reservada. Porém, isso é coisa bem diferente de ser santa. Estas duas palavras são antônimas.
Devem pensar isso de mim pois eu sou tímida e quase não falo. Eu realmente demoro a me abrir e tal. Meu jeito é assim.
Mas, não significa que estando de boca calada que a minha mente está quieta não. Não é assim! Ela fervilha o tempo inteiro. Um pensamento atropelando o outro e se segue assim.
E por muitas vezes acontece de eu "ligar" a mente pervertida, só para não dizer 100%. Por conta disso que eu começo a ir do nada e ficar quase sem ar.
Eu tenho a mente mais pervertida que conheço. Eu sempre tenho um pé lá na besteira. 
Eu só não jogo essas coisas ao vento, não demonstro.
Mas a minha imaginação... Ah... Ela é fatal!

Someday in the rain

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Tem aqueles que você acorda e está chovendo.
Não dá vontade de fazer nada, apenas ficar em baixo da coberta vendo um filme, ou nem pensar em sair de casa. Aproveitar aquele friozinho gostoso e apenas ouvir o som da chuva lá fora.
Esses dias são bons para se tirar uma folga e passar um dia na companhia de quem você ama, seja lá quem ela for.
Ou quem for maluco o suficiente: Por que não passear com essa pessoa nesse tempo?

Inspirado no capítulo extra de Suzumiya Haruhi no Yuutsu: Someday in the rain.

Mocinhos ou vilões?

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Existem vilões ou mocinhos na vida real?
Eu acho que não e que também depende muito da situação e do ponto de vista.
Não é uma coisa como a dos livros, em que há um personagem bonzinho e o outro malvado.
Na vida, há horas em somos um ou outro.
Para um amigo, somos bonzinhos. Para uma desavença, somos malvados.
É realmente uma questão que depende muito de quem a observa.
E a nossa vida não é uma história de livro, em que tudo vai acontecer as mil maravilhas perto do final. Existem muitos altos e baixos, muito mocinhos e vilões.
E tudo isso depende apenas dos personagens da nossa vida!

Um calo no dedo, uma unha manchada

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Eu costumo dizer que meus dedos fluem melhor com papel e caneta do que o teclado e uma página em branco. Ora por que?
Deve ser porque gosto de sentir tudo isso ao vivo, melhor dizendo, ao tato e a cores.
Digitar não te dá calo algum. Mas vai escrever para ver, se fizer demais você ganha um belo de um calo. Eu gosto disso!
Carrego minha marca de escritora no dedo médio da mão direita. Geralmente, é um que usamos para fazer mal, se é que entendem. Mas em mim, é o dedo que apoia a caneta para que ela escorregue no papel.
Outro dedo que também sofre é o indicador da mesma mão. Ao escrever demais com a caneta, acabo manchando a minha unha recém-feita no final de semana. Vira uma mistura de caneta com esmalte.
Mas esses dois não me dão raiva alguma. Sabe por que?
Porque eu tenho orgulho do que eu faço com eles.
As palavras realmente tem mais vida se elas vierem diretamente das mãos.

A magia para voar

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Hoje eu vou falar aqui de uma das primeiras histórias que eu inventei. Ela se chama A Magia para voar.
Calma que eu vou explicar tudo!
Eu era criança quando inventei isso e era a história que eu fazia num Storybook Maker que eu tinha no meu antigos Windows 95/98. 
Sempre fazia aquela história das duas crianças normais, que em um belo dia, ou melhor noite, são levados por uma fada a um reino nos céus. Daí para frente, eu realmente não fiz todos os detalhes.
Só que atualmente, ela me surgiu na cabeça de novo. E sabe aquela enorme vontade que dá de escrever? Pois é, assim que eu estou. Dia desses estava até detalhando melhor a história e vi que realmente pode ser tornar bom. Não que ela nunca tenha sido boa! Nunca foi é desenvolvida.
E sabe o melhor de tudo? Vai ser um conto e bem pequena. Gosto de escrever coisas curtas de vez em quando.

Julgar um livro pela capa (ou por quatro linhas aleatórias)

segunda-feira, 23 de setembro de 2013


É verdade que quando vamos comprar um livro, primeiramente, vemos a capa dele. E se esta nos interessar pegamos o livro para ler a sinopse.
Isto de uma certa forma seria julgar um livro pela capa. Mas o que se pode fazer?
Esta é primeira coisa que vemos e sem querer acabamos fazendo um pré-julgamento e levantando expectativas também.
Porém, não se pode deixar levar por essa "primeira impressão". No caso de um livro não é ela que fica! Um livro só é completamente descoberto e conhecido no momento em que se termina de lê-lo.
E outra coisa que não se pode fazer é julgar o livro por apenas algumas linhas dele que você leu aleatoriamente. Aquele trecho não representa e descreve o livro como um todo. Pode ser que aquele momento se distancie da maioria do livro. É apenas um ponto dele, assim como a capa.
E não se pode falar do inteiro sem conhecer as partes!

Tag 11 coisas

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Fazer uma tag de vez em quando não faz mal a ninguém.
Vi no blog My Queen Side e como ela passou para quem quisesse fazer. Cá estou!

Regras:

✿ Falar 11 coisas aleatórias sobre mim.
✿ Responder as 11 perguntas feitas por quem te indicou.
✿ Criar 11 perguntas e indicá-las para outros 11 blogs.

11 coisas aleatórias sobre mim...
1. Tenho um sinal no meu pé esquerdo;
2. Sou apaixonada por dublagem, de qualquer país;
3. Rosa não é minha cor preferida;
4. Já imaginei uma história crossover das minhas próprias, na qual o universo deles se bagunça pois eu estou em coma. (Le Maluca.);
5. Eu já sonhei que salvava o mundo, como a Sailor Moon;
6. Com 10 anos eu era uma tábua;
7. Minha primeira menstruação foi na véspera de natal (presentão!);
8. Sou apaixonada por animes, mangás, seiyuus e doramas;
9. Adoro pegar um filme exótico para ver;
10. Eu ainda quero ser uma Super Agente;
11. Eu amo a Minori Chihara, minha cantora preferida.

11 perguntas feitas por quem indicou...
1.Você valoriza a literatura nacional tanto quanto a estrangeira?
Claro que sim! Todas as literaturas tem o seu valor, independente de qual lugar do mundo elas sejam.
2.Costuma ler também os livros clássicos?
Não muito. Eu li mais para o colégio e para a faculdade. Quando eu escolho algo por conta próprio, prefiro algo mais atual.
3.Quando lê uma cena que não gostou num livro, qual sua reação?
Eu faço uma careta de repulsa e tento seguir para a cena seguinte.
4.O que é preciso ter num livro para considerá-lo bom?
Um história boa, que me prenda e não me faça querer largá-lo, ser bem escrito.
5.Costuma ler séries de livros ou prefere volumes únicos?
Isso depende bastante. Mas a maioria do que eu gosto são séries.
6.Qual foi o livro que mais recomendou às pessoas?
Qual eu mais recomendei? Ixi! Não faço ideia. Deve ter sido algum da Thalita Rebouças ou a série Poderosa.
7.Já leu fanfictions com personagens ou ambientados em algum livro?
Se personagens de um anime que foi baseado em uma Light novel... Então sim!
8.Costuma ler mais livros físicos ou e-books?
Eu não tenho nenhum aparelho para ler livros digitalmente e também tenho preferência por ter aquele troço de papel na minha mão. É melhor, pois não precisa de energia e a bateria não acaba. haha
9.Já emprestou algum livro que não devolveram ou não cuidaram?
Eu emprestei o meu Poderosa 1 para a minha tia, assim que acabei de lê-lo. Fui ter o livro de volta mais de uma ano depois e ele voltou com a capa totalmente amassada, pois o livro ficou enfiado no armário.
10.É compulsivo por marcadores, bottons e afins?
Adoro esses "tralhinhas". Fiquei com pena de pegar mais na bienal.
11.Poderia definir seu blog em uma frase.
Vamos ver... Para pequenas epifanias e seja lá o que me der vontade de escrever sobre.

11 perguntas minhas para os indicados...
1. O tamanho (quantidade de páginas) de um livro importa para você?
2. O que te chama sua atenção na hora de comprar/escolher um livro?
3. Alguma obra que gostaria que fosse adaptada para filme?
4. Gosta de criar suas próprias histórias ou prefere se manter como leitor?
5. Se pudesse escolher um universo dos livros para viver, qual seria?
6. Curte ler fanfiction?
7. Como o ambiente tem que estar para que você ter uma boa leitura?
8. Já parou de ler algum livro? Por quê?
9. As pessoas zelam pelos seus livros como você?
10. Algum livro que não dava nada no início, mas o no fim te surpreendeu.
11. Defina-se com duas frases.

11 (que não tenho) pessoas que eu indico...
1. Blog do Kyon
2. Mini-Oceano da Hanna-chan
3. Hypnotisée
4. (até 11) Quem quiser fazer!
É isso, pessoal! Espero que tenham gostado.

E se fossemos todos iguais?

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Imagine vivermos em um mundo onde todos fossem iguais? Não só fisicamente falando, mas psicologicamente também.
Todos teriam a mesma cara, o mesmo corte de cabelo, gostariam das mesmas coisas, vestiriam as mesmas roupas e se entenderiam até demais. O mundo seria monótomo e completamente chato. Ao meu ver, realmente seria chato.
A vida não teria graça alguma. Seria como viver com mais 7 bilhões de clones meus. E sinceramente... Nem eu sendo uma só aguento... Imagine os clones...
De um certo poderia até ser melhor, as pessoas nunca brigariam ou discutiriam e nem sentiriam inveja. Até porque acho que nem haveria como isso existir.
Porém, a graça e o encantador do mundo são as diferenças. São elas que nos tornam o que somos e criam as variedades.
É tão bom poder se olhar no espelho e se sentir único!
Poder conhecer alguma coisa nova através de outra pessoa!
Isto que há de belo! Conviver, respeitar e aprender com as diferenças... Sendo diferentes.

Nova versão do blog!

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Sem dúvida, vocês já viram que o blog está bem diferente e de cara nova. Gostaram?
Bem, eu não sei a melhor no photoshop e muito menos com essa versão moderna do blog. Contudo, eu fiz um esforço para conseguir fazer esta versão.
Admito que eu peguei um layout base e fiz por ele. Tive muitos problemas por que HTML é uma coisa confusa sozinha, com XML então, triplica a situação.
E depois de muito trabalho (e muitos crtl + s e imagens upadas) finalmente coloquei no ar este novo visual.
O ritmo do blog continuará o mesmo, só que agora com as coisas personalizadas, eu me sinto mais a vontade e mais em casa. haha (Tudo bem que aquele free da Evelyn me quebrou um galho.)
Espero que continuem acompanhando o blog e se divertindo comigo aqui.
KISSUS!

Você é velha demais para isso...



Sabe quando você gosta de ver/ler uma coisa que seja mais infantil? 
E bem, digamos que "já passou da idade" mas continua gostando mesmo assim?
A sua criança interior retorna ao você estar em contato com aquele universo e sente uma nostalgia de quando tinha essa idade.
Então, vem alguém, que não conhece os seus motivos para tal e te critica. Diz que você já e velho demais e que aquilo é coisa de criança e mais um monte de bla bla bla e mi mi mi...
E a pergunta que surge é: E daí?
E dai que eu gosto de coisas infantis? E dai que fisicamente estou velha?
O problema é completamente meu! Leio e assisto o que me dá vontade e eu curto.
E não é que seja visto por, na maioria, crianças que eu não possa me divertir com aquilo.
Por algum acaso existe "Apropriado para menores de 10/12/14/16/18"?
Subjetivamente, percebe-se isso, porém, o que está escrito: Livre para TODAS AS IDADES.
Isso significa que... Bem, entenda de maneira subjetiva. haha
(Para os burros: Quer dizer que eu sou livre também para assistir!)

Por que Cheerio?

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

As pessoas que me veem pela internet sabem que eu adoro usar a expressão "Cheerio".  Mas, o que significa?
Primeiro vou explicar onde que eu vi isso e depois o que quer dizer.
Conheci essa palavra no anime Katanagatari, que até já falei aqui uma vez, por causa da Togame. Não vou ficar explicando e nem contando a história do anime aqui.
Ela sempre fala "Cheerio!" quando vai dar um soco no Shichika. Tudo bem, que isso não faz efeito nenhum nele, é apenas para descarregar a raiva dela.
Togame usa a expressão me maneira errada. Foi corrigida por um outro personagem, que disse que a palavra equivalia a Tchau em outra língua. (É francês? Sei lá!)
Enfim, durante o anime, eu me apaixonei pela Togame. Adoro ela! E também fiquei puta que o corno do Emonzaemon matou-a. Tem tenho essa raiva toda pela Hitei quanto tenho pelo Emonzeamon.
Tomada pela amor a Togame e minha "otakice", decidi me tornar uma adepta ao Cheerio! Uso em seu significado real.
Mas quem sabe uma dia não possa bater em alguém e gritar CHEERIO?

Nunca pode ser você.

segunda-feira, 19 de agosto de 2013
Você é linda, mas isso não combina contigo.

Sabe o que dá raiva? Você não poder fazer certas coisas.
Mas não no sentido de não ter liberdade, mas de não poder ter certas ações.
Quando se está com vontade de chorar e não deixarem, por exemplo. Simplesmente porque isso não condiz a um comportamento aceitável vindo da sua parte.
Porém, quando uma outra pessoa faz isso, é considerado normal e tudo bem.
O que há errado? Ou melhor, de diferente? Afinal, eu também tenho sentimentos, pensamentos e emoções. 
Gosto de transparecer o sentimento quando ele me vem.
Não é um esteriótipo e conceito que criaram de mim que vai dizer se eu devo manifestar isso ou não. Eles são meus e eu decido o que farei. Posso guardar. Posso mostrar. Cabe a mim essa escolha!

A pessoa que fala, fala, mas não faz!

sexta-feira, 9 de agosto de 2013
Sabe aquela aquela pessoa que fala demais? Aquele que sempre tem algo a dizer? Seja contra ou a favor. Sempre cobra dos outros, que cada um faça a sua parte e ajude.
Mas e na hora de colocar a mão na massa... Cadê?
Não adianta só falar, tem que ter a atitude também.  Não fique cobrando de alguém algo que nem você mesmo faz.
Seja egoísta! Olhe um pouco para o seu umbigo, veja o está fazendo e pare de apontar os outros.
Participe das coisas e torne o que você diz a ser feito em suas próprias ações.
Não seja um exemplo de palavras, seja um exemplo de atitudes.
Porque realmente irrita ver alguém dessa maneira.

Eterno COSPLAY de mim!

segunda-feira, 5 de agosto de 2013


Sou um eterno cosplay de mim mesma!
Todos os dias interpreto a personagem que sou para a sociedade e até para eu mesma.
Dependendo do lugar, da situação... Meu comportamento, minha atitude e minha roupa podem mudar. Afinal, não são todos que conhecem todas as diversas facetas que tenho. Interpreto uma diferente eu em cada lugar destes...
"Diferente eu" para quem vê de fora. Todas essas são eu, apenas de uma outra forma exterior.
E por isso digo que sou eterna cosplayer de mim, interpreto a personagem mais importante da minha vida: eu!

Dia do escritor

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Parabéns para todos os escritores! Hoje é nosso dia. (Eu me incluo nisso.)
Os que estão aqui e os que já passaram e deixaram suas escritas.
Nós damos vida e sentido as palavras que escrevemos. Sejam elas poesias ou histórias!
Nós temos o dom de prender e fazer compreender nossas palavras. Por um lado somos vistos como loucos, por outro como sábios.
Não sabemos sobre tudo, mas fazermos o melhor para isso.
De vez em quando podemos nos fechar em nosso próprio mundo para dar vida a outro ou para entender o lado de fora.
Somos assim! Só nós sabemos o nosso real valor... Para nós mesmos e para os outros!

Um texto antigo...

terça-feira, 23 de julho de 2013
Texto de 2009, que eu fiz para o colégio. Apenas adaptado para prosa. O tema era Dia do livro.

Escrever é manipular as palavras e fazê-las contar um história. Triste ou alegre. Emocionante e contagiante.
História boa é aquela que te deixa na ânsia de saber o fim.
Palavras sozinhas são uma coisa. Juntas podem formar uma aventura... De nossas vidas!

Perdoem-me ter ficado sem postar. Eu viajei, mas já voltei! XD


Sobre mim! (Para o Garota Zodíaco)

domingo, 7 de julho de 2013
Fiz este texto para colocar no "About Zodiac - Saiba mais..."  do Garota Zodíaco.

Watashi wa... (Eu sou...)

Meu nome é Anelise Torres Vaz. Eu sou uma garota inteligente, legal, simpática, bonita. Também sou tímida, otimista, completamente sem pavio, estressada, nervosa e muitas outras coisas que nem sei. Nascida em 30 de novembro de 1992. Era para ser em 12 de dezembro, só que eu decidi vir mais cedo.
Quem escolheu meu nome? Eu costumo dizer que fui eu mesma. Minha mãe sonhou com a letra A, foi a dicionários de nome e procurou, procurou e nenhum ela achou. Estavam ela e meu meu pai nessa missão quase impossível. De repente, minha mãe falou “Anelise”. Procuraram novamente e não acharam. Mas, meu nome ficou esse. Só fui descobri o significado com 12/13 anos.
Eu era uma criança relativamente normal até meus cinco anos, foi quando, brincando na rede, eu cai e bati a cabeça. Nunca mais fui normal desde aquele dia. (O mundo sabe que eu não sou normal.)
Sempre tive a mente bem fértil (e atualmente, poluída), independente de pancada alguma. Eu brincava de coisas que eu inventava e por consequência disso que eu decidi começar a dar vida a isso. Com 11 anos, em 2004, peguei um caderno e escrevi o primeiro capítulo de “As Super Agentes”. Desde então, eu não parei mais. E mais oito histórias surgiram depois:
Minhas histórias são: As Super Agentes; Mago Belo e o mundo da magia; A filha do conselho; As aventuras de Jimmy Wayn; Sayonara Days; Mutsu Ike; Super Gata; Sasaki, a mulher samurai; O diário da escrava amada.
Eu já me considero uma escritora, só não sou famosa ainda. Quem não sabe em breve não tenha a minha “noite de autógrafos”?
Por gostar de escrever, não só histórias como outros textos, fiz faculdade de Letras/Literatura. Formei-me ano passado.
Já tive muitos inimigos nessa vida e eram bastantes. Porém, também tenho meus aliados. (risos)
Os mais fortes são: Mamãe, Papai, Nii-san e Amado. Meus pais são Cristina e Elias, eles passaram logo em meu primeiro desafio.
Nii-san é meu irmão mais novo: Elias. Considero-o meu melhor amigo e nós dois sozinhos em casa “falando merda” não dá certo.
Amado é meu namorado: Marcus, ou melhor, Ique. Ele é meu fã nº 1 e maior crítico. Até ajudo ele com as coisas que escreve.
Outra coisa que tenho bastante são apelidos, já que é difícil acertarem meu nome.
Eu sou otaku (ou otome) também. Lê-se: Eu sou fã de desenhos japoneses (animes). Adoro o estilo dos personagens, a história... Tudo!
Outra coisa que adoro do Japão (Alias, amo o Japão o tanto que amo o Brasil.) é a música. J-music é meu estilo musical. Não escuto outro tipo!
E todo esse amor começou em 2007, por causa do primeiro anime legendado que vi na vida: Suzumiya Haruhi no Yuutsu. Antes dele, só na televisão e dublado.
Apaixonei-me pelas músicas do anime e migrei para outras. E meu amor por esse meu “lado japonês” não para de aumentar.
Eu faço tantas coisas que nem cabe aqui nessa descrição bem grande.

Essa sou eu! Do meu jeito simples e completamente original.

Princess Hwapyung (K-movie)

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Mais uma review de filme! =) Dessa vez é o filme coreano Princess Hwapyung.
Admito que só peguei o filme para assistir porque nem tinha o que fazer e a sinopse me interessou também. Vai ser bem rápido porque o filme tem só uma hora, mas vale a pena.


O filme conta a história de uma princesa que é gorda. Desde criança, o irmão dela, que é o rei, sempre deu tudo o que ela queria, principalmente comida. Com o passar dos anos ela acabou se tornando desse jeito.
 As situações nesse início são engraçadas: Ela derruba a mesa do banquete se esticando para pegar um biscoito; Entra na banheira e sai água para todos os lados.
Todos ficam olhando para ela por ser assim, mas ela não liga, gosta de comer e é isso que importa!
Até que um dia, ela sobe na árvore para salvar um pássaro e o galho quebra. Um homem (acho que ele é nobre) a salva e quase tem os pés enterrados ao segurá-la. A princesa se apaixona por ele e acaba se casando com ele. Na primeira noite não acontece nada, ele disse que não queria aquela gorda.
Assim, ele mantem um caso com uma das "empregadas" da princesa, por quem se apaixonou.
Hwapyung acaba descobrindo esse caso e resolve se vingar! Ela decide emagrecer e ficar bonita, para quando ele a desejar poder dar "um pé na bunda dele".



Seu irmão atende a seu pedido e chama um professor/personal trainer, que realizou milagre emagrecendo mulheres. Então, começa o treinamento e tratamento. A princesa aprende etiqueta, entra em uma banheira de lama, controla a alimentação e começa a se exercitar.
No início não funcionava porque a noite escapava e "batia um pratão". Por conta disso, o professor a hipnotizou e quando ela via um doce, via vermes e não comia.
O treinamento se intensifica e dá resultado! A princesa se torna bonita, magra e saudável.
(Essa parte dela emagrecendo é engraçada. Colocaram a música do Rocky Balboa. Como eu ria! Coube como uma luva!)


Durante esse tempo, ficou longe do castelo. Ao voltar, todos se impressionam em como ela ficou e seu marido nem a reconhece. E o que ela queria acontece: Ele sente desejo por ela!
A princesa costuma conversar com o seu professor e o marido espionava. Isso mostra que ele estava com ciúme.


Mais tarde, o casal se encontra no quarto. O marido diz como ela está bonita e tudo mais. Então, ela dá um tapa nele e explica o porquê de ter feito aquilo!
Ele ainda mantém o caso com a empregada e acabam descobrindo. Os dois (empregada e marido da princesa) são presos e condenados a execução.
A princesa, apesar de tudo, ainda ama seu marido. E por consideração a ele, ajuda o outro casal a fugir. Ela deixa uma bela joia para comprarem uma casa em outro lugar. A empregada, aquela safada, não queria ficar pobre de novo e esfaqueia seu amante, debilitando-o, e foge sozinha.


Um tempo se passa e a princesa foi expulsa do castelo pelo que fez. Passou a viver em uma casa só dele e conversava bastante com o seu professor ainda. Achava que seu ex-marido estava bem e feliz! O professor lhe conta que ouviu que ele estava mal e ela se preocupou.
O marido passou a colher lenha para viver e seu braço esquerdo não se mexia mais, por causa do golpe que recebeu no ombro.
A princesa vai atrás dele e acaba rolando aquele cena que nos derrete todos. Ela disse que o amava ainda e ele se acha não-merecedor dela.
No fim das contas, ela aceita ele de volta!


Mais um tempo se passa e eles tem um filho! E passam a viver felizes!
Ele promete a ela que vai amá-la mesmo se ela ficar do jeito que era antes.
Assim acaba o filme!

É bem pequeno, simples e divertido!
Caso esteja em uma dia de tédio, dê uma hora de seu dia para assistir Princess Hwapyung. Vale a pena!
O filme pode ser baixado aqui: Dramas Épicos.

Dificuldade em ver qualidades

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Sabe quando te perguntam seus defeitos e qualidades?
É normal conseguir dizer mais defeitos do que qualidades.
Temos esse costume de ver sempre o nosso lado ruim, o que temos de imperfeito. É mais fácil elogiar outra pessoa do que a si mesmo. Nunca ou maioria das vezes acha que não tem qualidade alguma.
Existe o problema de olhar para dentro e ver o seu valor! Ver qualidades e se valorizar por isso.
Os erros são mais aparentes, mas quem disse que os acertos não tem seu espaço?
Preste atenção no que faz e veja que sempre há um lado bom em tudo, inclusive em você.
Pare de cobrar tanto, perfeição nesse quesito não existe. Faça apenas o seu melhor!

4 anos!

segunda-feira, 17 de junho de 2013


Pois é, hoje faz 4 anos! Parece até mentira, mas tem esse tempo todo que estamos juntos.
E tem gente que pergunta: Como você aguenta ele?
Sendo sincera, eu nem sei responder. Deve ser porque você é chato como eu ou possa ser que nos entendamos.
Obrigada por também me aguentar, porque eu sei que sou muito chata e reclamenta. E também por aguentar os meus pais, já que eles não compreendem algumas coisas.
Eu não sou de ser muito melosa, alias... Nós não somos de ser um casal meloso na internet. Não ficamos demonstrando nosso amor na internet. Fazemos isso quando estamos juntos. Isso é o que importa!
Eu espero que possamos ficar juntos para sempre! Eu te amo!

Sou como o fogo

sexta-feira, 14 de junho de 2013


Eu sou como o fogo! Destrutivo, imprevisível, explosivo e ao mesmo tempo quente, protetor e aconchegante.
Ninguém sabe quando vou acender e explodir, jogar labaredas por todos os lados. Espelhando todo o meu sentimento ardente para todos me sentirem e me perceberem. Só que isso as faz se afastar de mim, com medo de se queimar.
Porém, eu também sou controlável e posso irradiar apenas o calor necessário e mostrar os sentimentos necessários. Assim todos se aconchegam ao meu redor e querem me ver sorrir!
Dependendo da situação posso ser a destruição ou a salvação, a correria ou proteção.
Tenho estas duas faces! Completamente diferentes!

Coisar

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Quem nunca ficou sem saber (ou esqueceu) a palavra que ia usar e falou coisa? Ou coisar? Ou qualquer derivado disso?
Afinal, coisar uma coisa que já foi coisada é só para os fortes.
Coisar é um verbo alternativo. Coisa é um pronome.
Quantas vezes será que já não usou? Mesmo sem querer?
Serve para quando não se sabe o que dizer ou não querem que saibam o que você diz. Apenas os profissionais usam e entendem o significado dele.
O Coisar não é algo tão simples quanto parece, é quase um código morse quando usado da maneira certa.
Coisar é um estilo de vida!

Querido...

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Por que não posso ter você comigo? Por que não me quer? O que eu te fiz? O que há de errado?
Nós eramos felizes em outro época, todo o seu carinho e atenção eram meus, tudo era diferente.
Hoje me trata como se eu nem ao menos existisse ou lhe fosse inútil. Mas, é isso mesmo que eu sou nesse momento.
Sei que não me enxerga mais como antes. Foi meu olhar perante você que não mudou, nem um pouco. Ainda vejo aquela mesma pessoa pela qual me apaixonei e queria passar o resto da minha vida junto.
Por que mudou tanto? Eu queria entender, mas o a distância e o tempo me explicam isso.
Porém, de alguma forma, eu sei que ele ainda está ainda, aquele que conheci vive ainda aí, em seu interior.
Farei de tudo para poder ver de novo e finalmente poder realizar tudo o que eu sempre sonhei.

Coisas Anelise x Seiya, é claro!

Série Poderosa

terça-feira, 28 de maio de 2013

Hoje vou falar desse série de livros que é marcante, até demais, para mim.

Na manhã do natal de 2006, eu ganhei de presente Poderosa (o 1 né? haha). Eu era apenas uma menina de 13 anos na época e aquilo história me encantou e me prendeu tanto que me fez fazer uma coisa que eu nunca fizera até então: Devorar um livro em menos de uma semana. Com Poderosa foram exatos cinco dias. E com todos os livros da série foram assim, era menos de uma semana lendo.
Eu me apaixonei por Joana Dalva e todo o seu mundo.
Querem saber mais sobre a história?
Poderosa conta a história de Joana Dalva, uma menina de 13 anos, canhota, e que um dia descobre que tem um poder: Tudo o que ela escreve se torna realidade. Agora ela tem o poder de ajudar as pessoas a sua volta e poder mudar o mundo uma frase de cada vez.
Isso foi só uma introdução breve, mas já deu para entender o nível da coisa.
Joana Dalva descobre o poder dela bem sem querer e tenta resolver os seus problemas um de cada vez. Só que ela usa seu poder com muita cautela e quando muito necessário. Então, ela usa seu poder com sabedoria. Ela é quem conta tudo pelo seu ponto de vista!
Só lendo para ter noção de tão forte que o poder dela é e todas as coisas que ela faz, até porque nem lembro tudo. Vou listar as mais marcantes:
  1. Mudança na história de Joana D'Arc;
  2. Rejuvenescimento e ressurreição da Avó;
  3. Transformar todos em um lugar em pedra;
  4. Passar o seu poder para outra pessoa;
  5. Dividir-se em duas.
Esses são só alguns, os mais marcantes para mim. (Gente, isso é melhor que um Death Note.)
Eu me identifico muito com a protagonista, por ela querer e já até ser escritora. Também por ser uma adolescente normal e com todos os seus problemas. 
E o jeito que o autor, Sérgio Klein, a faz contar a história e nos aproxima e envolver-se nela.
Uma pena que o autor morreu em 2010. (Descobri isso tem poucos dias.) E nem eu e nem muitos outros fãs, jamais teremos o nosso Poderosa 6.
Só digo: Obrigada, Sérgio Klein, por essa história maravilhosa!
Terminando com um trecho do Poderosa 5 que eu abri sem querer ontem ao mexer em meus livros.


Sempre sonhei em ser escritora e misturar no mesmo caldeirão, até borbulhar, ação, suspense, romance e aventura, temperar tudo isso com diálogos apimentados e deixar os meus futuros e vorazes leitores com fome de novas histórias. Talvez seja um pouco cedo pra procurar uma editora ou sonhar com o Prêmio Nobel. Por ora, eu já me daria por satisfeita se pudesse escrever no jornal da escola e virar best-seller entre os colegas.

(Poderosa 5, página 31)

Depender da sociedade

quarta-feira, 22 de maio de 2013
Sempre julgam ou comentam o que você faz. Seja na vida real ou virtual. Principalmente na segunda opção.
Dizem que tal coisa não condiz com o que faz, no caso, quando se é exemplo para "alguéns". Sendo que, sua situação de exemplo é fora do virtual.
O que você posta ou comenta na web é uma coisa completamente diferente.
Dentro dela, eu sou uma pessoa diferente da que sou fora dela.
Não sabem separar as coisas? E o que eu digo ou escrevo tem a ver com qualquer coisa?
Se for para ficar me preocupando e sempre tendo um passo atrás por causa "do que vão pensar", eu não viverei e não farei nada que eu gosto.
É melhor ser errada e ser eu mesma do que certinha e ser outra pessoa!

Homenagem? Maybe!

A técnica do papel

quinta-feira, 16 de maio de 2013
E mais um dos meus posts sobre escrever? Maybe!

Sabe quando você tem uma ideia e se não gravá-la em algum lugar com toda a certeza vai esquecer?
Tem uma coisa que eu uso que é muito fácil para quando se tiver uma ideia, independente de qual e para o que seja.
Sabe papel e caneta? É só isso o que vai precisar. Uma coisa simples, mas que vai te salvar dessa situação de esquecimento que a vida corrida nos causa.
Pode ser um bloquinho com um lápis, só para quando a ideia surgir poder colocá-la no papel e não esquecer.
Faça uma frase simples ou escreva um texto sobre a sua ideia. Depende da forma que você quer fazer para se lembrar.
Eu uso muito isso para arrumar os rumos ou possíveis capítulos das minhas histórias. Afinal, eu tenho tantas, pode ser que uma hora eu confunda tudo isso.
Pode-se usar esse "papel e caneta" até do lado da sua cama. Tendemos a ter coisas boas nessas horas.
É uma coisa tão simples, mas que pode muito te salvar.

E ficou uma merdaaaa!

A lenda do fio vermelho

domingo, 12 de maio de 2013

"Um fio invisível conecta os que estão destinados a conhecer-se independentemente do tempo, lugar ou circunstância. O fio pode esticar ou emaranhar-se mas nunca irá partir." 
(Uma antiga crença chinesa)


A lenda do "Fio vermelho do destino", acho que poucos no ocidente a conhecem. Mas eu a acho tão bonita! Mais bonita que a lenda "da metade da laranja".
Ela diz que a pessoa que está destinada a você fica ligada por um fio invisível e vermelho. Cada ponta é amarrada no dedo mindinho de cada um.
Não importa tudo o que aconteça na vida de cada um, um dia as duas pontas do fio vão se encontrar.
O fio estica, encurta e se embola, mas ele jamais se rompe.
Acredita-se que isso seja uma obra dos deuses (da cultura chinesa).
E sabe por que eu acho esta lenda linda?
Ela não determina quando e onde vai encontrar sua metade, diz que apenas vai encontrar. O destino vai unir os dois, mas as duas partes vão fazer o possível para se encontrar. Não importando o tempo que leve.
E a distância jamais vai separá-los, pois eles estão unidos por algo mais forte, que nunca se parte.
Todos um dia vamos encontrar onde o nosso fio vermelho termina, sem dúvida.

O diário da escrava amada

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Sabe quando você acaba de acordar e ainda tem o seu sonho nítido na cabeça?
E quando esse sonho te faz criar uma história nova, quando você acha que suas ideias acabaram?
Com O diário da escrava amada foi assim!
Acordei sabendo que havia sonhado com o yaoi Ai no Kusabi e fiquei com isso na cabeça até que a ideia da história surgiu.
É sobre uma garota, de um mundo futurista, que foi comprada e virou escrava de um homem rico. Então, ela decidiu escrever um diário para contar todas as experiências dela com tudo isso.
Mas, esse diário é lido por seu marido, que era o dono dela antes.
E quer saber o que houve para ambos acabarem se tornando marido e mulher? É só acompanhar a história!
Além da sua pitada de romance, também tem sua pitada de sexo. Afinal, nossa protagonista se tornou uma escrava sexual.
É mais um dos meus romances bem enrolados, já que eu também sou enrolada.
Eu estou muito feliz por ter uma história nova, é sempre bom poder ter algo diferente para dar vida.
E é quase um rebirth do surgimento do Mutsu Ike também. haha
Quem quiser ler, basta entrar aqui.

Pequenas coisas

segunda-feira, 6 de maio de 2013


Quando somos crianças aproveitamos até a menor coisa da vida. 
Seja brincar com algo ou ficar cheirando alguém ou rir, por exemplo.
Porém, conforme crescemos perdemos essa essência de aproveitar as pequenas coisas.
Por causa das preocupações e responsabilidades que surgem, falta-nos tempo para isso.
Nunca devemos esquecer dessas coisas, fazê-las de vem em quando.
Apenas ficar em baixo das cobertas vendo um filme em um dia frio, jogar papo fora com os amigos, rir de alguma coisa bem boba.
Isso nos faz sentir melhor, esquecer um pouco as coisas grandes e se preocupar só com o agora, com o curtir o momento. Tenha certeza que sairá se sentindo mais leve e mais feliz!

Mudanças

segunda-feira, 29 de abril de 2013


Existem horas em nossa vida em que as coisas precisam mudar. Novos ciclos precisam começar.
E não serão sempre mudanças radicais. As pequenas coisas também podem ser mudanças.
Uma mudança na roupa ou no cabelo. Ir por um caminho diferente ou ouvir uma artista novo.
Essas pequenas coisas quebram a rotina, que pode ser um ciclo vicioso e repetitivo demais.
As vezes precisamos dar um quebra na rotina mesmo, fazer algo diferente para se sentir diferente e melhor.
Mudanças são sempre necessárias para que deixemos de ser sempre a mesma coisa, todos os dias, todo o tempo.

Escrever em primeira pessoa

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Vemos muitos livros atualmente escritos em primeira pessoa. Onde o personagem faz parte da história que conta.
Escrever nesse estilo faz com que o próprio escritor (e o leitor) se sinta dentro da história. Parece que o personagem está falando com você.
O escritor se sente mais como o personagem, assume a pele dele. Seus pensamentos são os dele.
Fica uma coisa mais sentimental e profunda.
Diferente do narrador-observador, que fica de fora, apenas conta os fatos. Cita os pensamentos e sentimentos dos personagens.
Escrever em primeira pessoa também é mais fácil, mas também limitado, pois, ele limita os pontos de vista da história. Ou se coloca vários personagens para narrar e ter vários pontos, ou com apenas um, se aproveita dessa limitação.

Olhos

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Quando me perguntam qual a parte do corpo de alguém que eu olho primeiro, respondo sem dúvida que são os olhos.
Por que os olhos?
Eles tem uma característica única, as suas cores. Os olhos agem diferente do resto do corpo. Não conseguem esconder o que você sente. Você pode até disfarçar mudando de expressão, mas se alguém olhar para os seus olhos poderá ver que está mentindo.
E por que são uma parte marcante?
Alguns olhos são penetrantes, seja pela sua bela cor ou por jeito de observar o que há a sua volta. E uma pessoa que esses dois tipos de olhos sempre serão lembradas.
Os olhos são o espelho da alma, por se localizarem bem próximo aos seus pensamentos. Por eles não tem como esconder sua personalidade e nem o que sente.
Por isso eles me impressionam, são a parte mais bonita e sincera de alguém.

Eu sei que...

segunda-feira, 15 de abril de 2013
"Eu sei que eu não sei tudo de nada".
(Anelise)

Afinal, qual o sentido da frase acima? A frase foi dita por mim em um dos meus vídeos. (risos)
Na hora, eu nem tive noção do que disse. Mas, como eu tenho meus momentos para ficar pensando em nada. Usei um deles para interpretar essa frase. Só não sei como vou explicar. Apenas tentarei!
Seria como dizer que eu não tenho conhecimento suficiente sobre todos os assuntos existentes.
"Eu sei que eu não sei", até aqui tudo bem né?
Mas e o "tudo"? E o "nada"?
"Tudo" seria o conhecimento, todo o conhecimento. 
"Nada" seriam os assuntos, as coisas.
Então ficaria: Eu sei que eu não tenho todos os conhecimentos sobre as coisas.
Assim a frase fica maior, porém mais fácil de entender.
Os pronomes tudo e nada fazem bem o seu serviço nas entrelinhas.

Lutar por você...

terça-feira, 9 de abril de 2013

Nunca desistirei de você!
Nem que tenha que arrastar um exército inteiro para resgatar.
Moverei todos os esforços para poder ficar com você.
Lutarei por você. Não ficarei que nem uma mocinha indefesa chorando trancada no quarto.
E se possível, lutarei junto com você e por você.  Levantarei a espada ao seu lado!
Eu não sou uma mulher comum. Sou uma guerreira e luto pelo que eu quero.

(Inspirada em Warrior do grupo Blush)




O copo

sexta-feira, 5 de abril de 2013


Existe um copo com seu líquido pela metade.
Existem os otimistas, que dizem que ele está "meio cheio".
Existem os pessimistas, que dizem que ele está "meio vazio".
E existem os realistas, que simplesmente dizem que ele "está pela metade".
Quem está certo? Depende.
Cada um vê o mundo de uma certa maneira.
Uns sempre enxergam com esperança.
Outros sempre veem o lado ruim de tudo.
E aqueles que se conformam em apenas encarar, friamente.

Sou blogueira há tanto tempo...

sábado, 30 de março de 2013

Sou blogueira há tanto tempo... Mas há tanto tempo... Que...
A Vickys, o Thomoeda e muitos outros "Template Shop" existiam.
Os blogs eram cheiros de imagens e placas e coisas com glitter, bem poluídos visualmente.
Ninguém ligava muito para temas de moda ou maquiagem, bastava falar de você e da sua vida.
Ninguém ligava para o seu "internetês".
As pessoas divulgavam seus blogs em comunidades no orkut.
Ninguém usava Facebook e muito menos Tumblr. (E ninguém se pagava de poeta)
Gostava de frases como: Sua inveja faz a minha fama!
Eu gostava de receber placas dos blogs que eu visitava e mandar também.
Os blogs tinham visuais com aqueles styles do adobe photoshop e bem brilhantes.
O weblogger existia (e era bem ruim).
Não tinha versão nova do blogger, sem gadgets.
O Yahoo Geocities existia!
Fazia meu perfil com minigifs.
Existiam Blog Contest, blog de awards e condomínios.
Não tem tanto tempo assim, mas já mudou bastante coisa. Mudou a internet, eu mudei, cresci. Só restou a saudade daquele tempo. Era bom, claro que sim! Não que hoje seja ruim, mas naquela época ninguém ficava postando frases. Éramos nós mesmos! Falando besteira!
Saudade desse tempo! Pena que não volta.

Ter com quem dividir

segunda-feira, 25 de março de 2013


Aquele aperto no coração ou aquele tormento na sua cabeça. E você está sozinho.
Tudo o que você queria era alguém para conversar, alguém para dividir o que sente. Só para ficar do seu lado e poder abraçar.
Mesmo sem dizer uma palavra, ela vai te entender e te dar consolo.
É muito ruim ficar com algo ruim apenas com você. Aquilo que fica te remoendo e não sai do seu pensamento. É horrível mesmo!
Sempre tente dividir com alguém. Vale com um pedaço de papel e um urso de pelúcia.

Review: Disneyland Adventures

domingo, 17 de março de 2013

Saindo um pouco dos meus textos hoje. Permitam-me fazer a review de um jogo hoje?
Bem, eu e meu irmão compramos um Xbox 360 com kinect. Com ele vieram dois jogos e vou falar de um deles hoje: Disneyland Adventures.
Como o próprio nome já diz é da Disney. Todo o jogo se passa no parque da Disney, é uma simulação sua visitando o parque mesmo. Mas, não é só um cenário no qual se fica andando.
Para ser mais divertido, você pode falar com os personagens, tirar foto com eles, dançar com eles, etc.
Você cria um avatar para jogar, mas ele é uma criança. Aí sim, pode sair falando com os personagens.
E como todos os jogos atualmente, ao se falar com os personagens, eles vão te dar uma missões para fazer (NPCs sempre sendo inutéis). Alguns são para encontrar coisas espalhadas pelo parque, outros para jogar um dos "mini-jogos" do parque. São jogos em que você entra em um dos universos de algum filme ou da Disney, como Peter Pan, Procurando Nemo ou As princesas.
E esse joguinhos são muito legais, dá para se divertir bastante.
Além das missões que os personagens te dão, também tem as próprias do parque. O que isto quer dizer?
Conforme o jogo passa, você vai ganhando itens para usar. Como a câmera e a varinha, por exemplo.
Com esses itens você tem que ir encontrando os segredos do parque (era esse nome, lembrei).  E são muitos e para fazê-los só andando muito no parque mesmo. Pode-se tirar fotos nos "Photo Passes" do parque, ir jogando a varinha para revirar os bueiros e latas de lixo. E também encontrar os "Hideens Mickeys" pelo parque, tem que ter um olho muito bom e olhar em todos os cantinhos possíveis. (Já achei metade!)


O jogo é Kinect, muito fácil de se jogar. Mas, tem um comando que é quase impossível para fazer. É o "Pedir um autógrafo", onde se tem que estender as duas mãos. Aí vocês me perguntam: O que tem de difícil nisso? O problema é que o Kinect não consegue "ler" o que você está fazendo.
Isso se deve ao fato do jogo ser bastante bugado quando ao seu personagem, principalmente os braços dele. Exemplo: Para abrir o menu (onde vejo o mapa e as missões, etc) tem que levantar os dois braços para o alto. Você faz, mas, ás vezes, o jogo vai colocar o braço torto com o cotovelo levantado. É sério! Não é sacanagem minha, acontece mesmo.
Quando mando ir o autógrafo, os braços da minha avatar ficam tortos e não ficam na posição certa e o comando não vai. Só depois de várias tentativas que eu acerto. Isso deve ser porque o jogo não consegue ler os seus movimentos rápido. (Ou é meu Kinect mesmo!)
O legal do jogo mesmo é poder falar com os personagens. Não foi possível colocarem todos, eu sei. Senti falta da Mulan, da Pocahontas e da Rapunzel. E tem personagens que eu nunca vi, tipo o Black Barty, o pirata. Gostei muito de ter o Mogli e o Balu (o urso do "Necessário, somente o necessário".) e também a turma do Pooh.
Ainda não zerei (se é se pode zerar um jogo desse!), mas posso já fazer uma boa avaliação por ser bem simples.
É realmente um jogo muito legal. Fácil! Dá para crianças e pessoas noobs, geralmente ruins em jogos como eu, jogarem. Vale por toda a diversão! Quem não gosta da Disney? (Ainda mais poder falar com o Pato Donald!)

Nunca é o suficiente

quinta-feira, 7 de março de 2013
Sabe quando você sempre faz o melhor que pode e que está ao seu alcance? E ninguém reconhece seu esforço? É de dar revolta! Dá vontade de ficar sentado esperando o tempo passar. Vão dizer que eu não fiz nada e vão estar certos, não reclamarei, pois é verdade!
Uma tarefa, por menor que ela seja, é bem diferente de "nada". Nada é zero!
Pode-se até esquecer de muitas das tarefas que lhe foram requisitadas, mas se chamado de completo porque se esqueceu delas?! Aí já é ridículo!
As pequenas coisas também fazem parte do todo. Sou apenas uma formiga no meio da Terra, mas eu faço a diferença. Mesmo que está não seja notada por muitos!
Eu não quero provar que sou útil e que tenho super poderes para tudo fazer, quero que o que já faço seja reconhecido. É só isso! Isso é pedir muito?

Primeiro meme aqui no blog!

segunda-feira, 4 de março de 2013
Olá, pessoal! Hoje uma coisa mais relax e fora do tema do blog. Eu mandei um meme para mim mesma (Forever alone detected!) pelo Garota Zodíaco. E vou respondê-lo agora.
É bom para poderem conhecerem mais além dessa escritora aqui. Conhecerem a pessoa Anelise. haha
Aí vão as regras do Meme primeiro:

Os blogueiros que receberem o meme, responderão às perguntas feitas pelo blogueiro que indicou seu blog e listar 10 blogs para fazer o mesmo. Ah! Não pode ser blogs famosos com mais de 800 seguidores, pois o intuito do meme é divulgar blogs “desconhecidos”.

1-Como escolheu o nome do seu blog?
Eu queria alguma em japonês e achei a palavra "Shizen" que significa natureza. E resolvi colocar essa palavra com um dos meus apelidos: Ane-chan. Juntei os dois e ficou com esse nome, uma pergunta. "Coisas que fazem parte de mim, mas não sou eu. Isso é o motivo da pergunta."
2-Há quanto tempo tem seu blog?
Tem pouco mais de um ano. Ele é um bebê ainda.
3-Como você divulga o seu blog?
Eu divulgo na página do Garota Zodíaco sempre que atualizo e maioria dos textos aqui são repostados no Keyfordefection.
4-Quais os assuntos que mais tem visualizações no seu blog?
Coisas mais relacionadas ao cotidiano e a coisas que usamos.
5-O que motivou você a criar seu blog?
Eu queria ter algum lugar para poder postar quando desse vontade e coisas bem pequenas e rápidas, sobre o que me dá vontade.
6-Onde você mora?
Rio de Janeiro - RJ (Carioca merrrmo!)
7-Quais os seus objetivos com o blog?
Poder escrever algo fora os meus livros, eu gosto de usar meu dom de escritora para falar sobre algo comum ou mais sentimental.
8-Quais blogs você visita frequentemente?
Só o Hypnotisée e o Acidez Feminina.
9-O que te inspira para criar os posts?
De acordo com a inspiração que vem, como me sinto, geralmente.
10-Qual a sua idade?
Tenho 20, mas passo por 14, 15 fácil.
11-Além do blog tem alguma outra ocupação? Se sim, quais?
Seria a de ser escritora, mas ainda não famosa. E estudante também. (Igual ao GZ!)
12-O que mais gosta de fazer nos finais de semana? 
Mamorar, jogar um pouco, ver um anime ou um filme, ler, outros. (Igual ao GZ!)
13-Gosta de café?
Até bebo, aprendi a gostar um pouco pois é a única coisa que se tem em sala de professores.
(Ou como o Cosmo: CAFÉ! CAFÉ! CAFÉ!)
14-Pretende fazer algo em 2013 para o blog?
Poder trocar o layout, ter um outro feito por mim e melhorar os textos. Atrair mais visitantes.


Bem, é isso! Rápido e fora do contexto do blog, mas vocês não vão brigar comigo né?
Poxa, escrevo coisas legais sempre que posso aqui. Me amem! haha
Beijos!

Quem se paga de moralista

Sabe quando você está na internet e aparece alguma coisa bem "para pensar"? Algo relacionado a uma crítica, geralmente.
E começam a vir aqueles comentários que são enormes dissertações. E de pessoas que gostam de se pegar de "politicamente corretas", de moralistas. Critica e fala, mas na hora de fazer é igual todo mundo, nada faz.
Fica querendo colocar moral e dizer que é certinho e que não se deve fazer isso ou que isso é "feio", porém, às vezes, o pior da galáxia é ele mesmo. E não faz nem metade do que diz.
Não gosto de pessoas que falam e falam e falam mais um pouco e não fazem nada. É irritante e deprimente!
Por que não levanta-se da cadeira e vai fazer alguma coisa?
Opinião ele pode até ter, mas ficar tentando dar uma lição nos outros é outra coisa.
Ou até ao contrário, fica mentindo que não faz alguma coisa que "condena". Ou fica reclamando de alguma coisa que tem na internet, na televisão, mas com certeza ela senta e assisti e fica por isso mesmo.
Ah, por favor! Catar-se-á pessoa!

(Ficou bem ruim, eu sei. Eu acho rídiculo e engraçado quem fica se pagando de "certinho" em qualquer lugar.)

Filmes orientais

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013
O meu amor por animes fez eu ter um interesse também em outras coisas que viessem do Japão e da Ásia em geral. Filmes são um exemplo!
Já vi filmes dos mais variados, desde live actions de algum anime até filmes de robôs.
E eu gostei de todos os filmes. Eles sempre passavam uma mensagem legal ou eram muito engraçados.
Não é muito diferente dos filmes "normais" que assistimos. Acho os filmes asiáticos só um pouco mais dramáticos apenas.
E são filmes que só são possíveis de serem vistos legendados, já que eles não chegaram aqui e não foram dublado. Esse fator me faz aprender uma pouco mais das línguas.
É bom poder sair um pouco dos padrões e poder assistir algo diferente.
É uma pena que sejam filmes pouco conhecidos, pois eles são muito bons.
Sempre que posso procuro um filmes desses para ver e me divertir.

Ficar sozinha em casa

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Sabe quando você tem aquela vontade de ficar sozinho, até porque passa maior parte de seu tempo sendo rodeado por outros.
É bom poder ficar sozinho, ter um tempo só para você! Apenas sua própria compania!
Poder ficar vestido do jeito que quiser, ou não ficar vestido. Poder ouvir música no último volume e dar uma boa desafinada ao cantar, ainda fazer uma dança maluca. Poder ver um programa ou alguma coisa que só você gosta. Poder fazer poses e conversar com seu reflexo no espelho. Poder se deitar e ficar com o pensamento longe. Não precisar dar atenção a outra pessoa, só a você.
Precisamos desses momentos, só nossos! Vai me dizer que você não gosta de uma solidão dessas?
Não precisa ser por dias, algumas horas já são o suficiente. Fugir da realidade um pouco!
Um tempo para refletir ou apenas curtir. E também... Ser um pouco egoísta!

Homenagem a quem escreve certíssimo...

domingo, 17 de fevereiro de 2013
Claro que o título se trata de uma ironia. Eu sei que todos os seres existentes tem o dever de saber o português todo. Tanto que eu não sei tudo e também erro.
Mas, acho que existe um limite para isso. As pessoas costumam errar coisas comuns e bem fáceis. (Não não é exagero.) E as pessoas não se tocam que escrevem muito mal, acham que estão abalando a boca do balão. O máximo que conseguem é uma print, uns minutos de fama e ser reconhecido como um eterno idiota.
Se preparem que eu vou entrar em uma personagem que tem um português péssimo. E vou exagerar. Lá vai...

Olha aqui, meu bem, recalcada! Num me entereressa o que vose acha de mim. Porque eu sou fabulosa, meu bem! Minhas fotus tem muintas curtidas e muintos comentários. Isso tudo é enveja! Porque eu tenhu um namorado lindo, só para mim beijar e abraçar. Concerteza vose quer o corpo nu dele, mais não vai ter. Cuido do que é meu. cuide do que é seu! Fica perdendo tempo mechendo e fofocando a vida do zoutro.
Vai lá pastar, sua vaca leiteira. SUA E-N-V-E-J-O-S-A! Seu recalque aqui bate e volta, querida.

Não ficou tão exagerado quanto achei que fosse ficar, minha personagem sabe até pontuar. Isso é só uma parte para vocês terem uma noção de como esses tipos de erro me irritam.



Cabelos ao vento...

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Um dia de sol, daqueles bem quentes. Estou com muito calor. Tudo o que mais quero é algo que possa me refrescar, nem que por breve segundos, fazendo-me esquecer do calor um pouco.
E de repente corre uma brisa. Que ao tocar minha pele causa um calafrio e um arrepio, mas ambos são bons. Sinto a brisa também chegar em meus cabelos e tocá-los, fazendo me sentir em uma cena de filme ou em um videoclipe.
Como o vento ás vezes pode ser gracioso e forte, dependendo de como vem.
Pode ser inofensivo, como uma brisa. Ou devastador, como aquela ventania antes (e durante) uma tempestade.
O vento é assim variável, como eu!
Em certo momento estou tranquila, mas posso mudar para um vendaval e ter mais força.
Também me assemelho ao vento por sua beleza e sua invisibilidade. O vento é belo, mas ninguém o vê, só o toca, o sente.
De vez em quando me sinto invisível, mas os meus sentimentos podem tocar a todos. 

Foi bom enquanto durou

domingo, 10 de fevereiro de 2013
Inspirei-me em Ai no Uta de Minori Chihara.

Eu sei por tudo o que passamos. Nós sabemos por tudo o que passamos. Altos e baixos, não é?
Os nossos caminhos se juntaram e aproveitamos a jornada juntos, caminhando e apoiando um ao outro.
Mas, como tudo na vida tem um começo, também pode ter um fim. Isto nos aconteceu. Nosso fim chegou.
Podemos ter ficado triste. Eu pelo menos fiquei. Não é bom quando termina, não mesmo!
Sinto muito por tudo!
E também agradeço por tudo o que você fez por mim e me mostrou. Obrigada por passar em minha vida e ocasionar uma mudança em mim.
Agora cada um de nós seguirá um caminho diferente, sem esquecer o passado e lembrar dele com carinho.
Lembrar dos bons momentos, da boa pessoa.
Jamais me esquecerei disso tudo. Obrigada!

(Ficou horrível!)

Direito de falar

sábado, 2 de fevereiro de 2013

As pessoas sempre gostam de falar e deixar sua opinião sobre algum assunto. 
Algumas fazem isso sem moderação e por muita sorte ninguém critica suas opiniões, por mais absurdas e idiotas que elas sejam.
No meu caso, eu não posso falar nem um aí. Já começam a me criticar e dizer que sou a revoltadinha da sociedade.
Sinceramente, acho isso muito chato. Sou muita sensata quando falo (e escrevo), eu me expresso de maneira bem normal, sem mostrar nenhum tipo de revolta. Posso até não concordar com o assunto, mas me mostro de maneira menos crítica, com uso de boas palavras. 
Só gostaria de entender o que acontece?
Se eu falo que um assunto já deu o que tinha que dar e pedem para eu me revoltar em outro lugar.
Se eu mandar para lugares bonitos, não diga que eu não avisei, você fez por onde. (Ironia!)
Gostar de falar o que acho sim e respeito a opinião de outros. Faça o mesmo comigo, por favor!

Inspirei-me  para esse post, porque falei que o assunto do incêndio esta semana no jornal/TV já estava enchendo e me mandaram ir para o Facebook para manifestar minha revolta. Eu só acho que para as famílias quererem ver TV para tentar esquecer um pouco e ficam martelando nesse assunto. Foi só isso!
Mas, como não falar NADA! Deu nisso.
Print abaixo!

The Sun always rises!

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Escutei uma frase em inglês assim: The Sun always rises. (Tradução: O sol sempre nasce.)
Admito que a uma das falas da Leona do League of legends. (Obrigada Leona!)
O que ela diz é verdade, todos os dias o sol aparece, disso não se há dúvidas.
Mas... Eu parei para refletir um pouco sobre além desse "sentido literal". Sei que viajo demais!

O sol nasce todos os dias, cerimonialmente, mostrando que mais um dia começou. 
Um novo dia é uma nova oportunidade para poder fazer diferente e melhor.
Se o seu dia foi ruim, não se preocupe! Descanse e espere que outro virá e você terá um dia melhor.
Mas sem essa de viver um dia de cada vez, a vida é feita por todos estes dias em que sóis nascem, em conjunto. É tudo uma coisa só, porém com várias etapas.
Se uma não for passada ou concluída, tem como se tentar de novo, em outra hora.
O sol sempre nasce para que percebamos que as oportunidades não acabam nunca.