Último post de 2017 + Feliz 2018!

sábado, 30 de dezembro de 2017
Olá, pessoal! Como vão?
Esta é a última postagem de 2017 no blog. E como sempre, quero usá-la para falar brevemente do ano que está acabando e desejar "boas entradas" para vocês. haha
Enfim, 2017 foi um ano muito bom. Eu conquistei muita coisa, alcancei muita coisa e espero que se mantenha assim no próximo ano. Eu farei um vídeo sobre as conquistas e minhas metas para 2018. Vai sair na semana que vem sem falta! (Era para sair hoje, mas nem consegui gravar.)
Enfim, obrigada 2017 por ser um ano maravilhoso na minha vida! Você vai me deixar saudades.
E seja bem-vindo 2018! Renove as energias e os pensamentos para a gente poder ter mais uma chance para ser o melhor de nós mesmos!
Alias, gente, Feliz Natal atrasado também. haha (Meu Natal não foi lá essas coisas, espero que o de vocês tenha sido melhor.)
Agradeço por acompanharem o blog por mais este ano e que possamos continuar no ano que vem né? Prometo manter o ritmo e trazer algumas coisas novas.
É isso! Até 2018! 
E fiquem com a placa especial que eu sempre faço. :3


Kyon #32: Aparições de Anelise como autora - Parte 4

terça-feira, 26 de dezembro de 2017
Olá, pessoal! Kyon aqui!
Como foram de natal? Espero que bem!
Bem, a programação aqui no blog não para. E hoje lhes trago a quarta parte das aparições da Anelise como autora, para fechar as participações do pós-bienal. Espero futuramente conseguir fazer uma parte 5, uma parte 6, infinitas, porque ela merece.
Bora lá então!



Esta se trata de mais uma entrevista, junto com informações dos livros. Aqui ela fala um pouco sobre como começou, quando descobriu que queria escrever e também dá umas dicas para outros autores.



Este trata-se de um grande apanhado de todas as redes sociais da Anelise. Falando bem basicamente sobre o que aconteceu na bienal. Mostra também os livros publicados dela e tudo mais.



Este aqui é dando um destaque maior para o que aconteceu na bienal, evidenciando a atitude dela que muitos admiraram.

Bem, pessoal. Essa foi 4º - e por enquanto última - parte. Espero que tenham gostado.
Beijos do Kyon!

O Príncipe do Natal

sábado, 23 de dezembro de 2017

Natal já tá ai né, gente? Como o ano voa! haha
Então, é a época do ano em que a gente se pega assistindo vários filmes que tem alguma coisa a ver com o Natal e claro que a Netflix safada ia fazer algo relacionado com essa temática. Então, eles lançaram filmes de Natal, que estreou um no dia 17 - e é sobre o qual falarei hoje - e mais um nessa última semana, até assisti, mas deixo para falar dele em outros post.
Enfim, como a imagem já lhes mostrou, falarei a minha opinião sobre O Príncipe do Natal.
O filme conta a história de uma jornalista que recebe uma grande pauta para a época do natal, que é sobre um príncipe de um pequeno país da Europa que está para se tornar Rei. Porém, ele é conhecido por sua péssima reputação de baladeiro e de pegador.
E a coração dele é o grande evento natalino no país! E a nossa jornalista foi para cobrir e também descobrir algum possível podre que rola na família.
Só que, depois de uma coletiva furada, ela, ao explorar o castelo, acaba sendo confundida com a nova tutora da princesa. E assim, ela acaba indo definitivamente para o castelo e se envolvendo na história mais do que precisa para produzir a matéria! E bem, ela ganha uma ótima aliada para acobertá-la de quem ela realmente é, a própria princesa, bem malandra, logo percebeu o péssimo disfarce feito sem querer da jornalista. (E essa princesa é uma fofura só! Elas acabam tendo uma amizade bem legal no filme.)
Ela conhece a história da família, a treta que roda por trás da coroação. E bem, ela descobre que o príncipe não é nem metade do que realmente dizem dele.
Admito que o filme tem muito o estilo de Príncipe e Eu (que eu ainda preciso ver direito, eu só peguei um flashes), não é um filme genial, com um super enredo. Ele é clichê sim, bobinho, mas é um filme divertido! Ele é tão descompromissado que acaba sendo bom.
Adorei ter parado umas duas horas para ver um filme leve e em alguns momentos engraçados. Eu penso muito em filmes, não para ficar quebrando a minha cabeça tentando entender o que diabos está acontecendo - deixo isso para as séries, doramas e animes -, mas sim para relaxar um pouco e assistir realmente algo legal e que você se sente bem quando termina.
É clichezão mesmo, é romancinho mesmo, mas isso é um ponto positivo do filme.
E bem, não vou contar mais muito, porém, acho que é até meio óbvio que eles descobrem quem ela é, ela volta para casa e o agora Rei vai atrás dela.
Então, se estiver meio sozinho nessa véspera de natal, aproveita e coloca esse filme. Vai aquecer um pouco o seu coração! =D

Top 5 #33: Melhores músicas Disney

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Olá, pessoal! Como vão? Espero que bem!
Cá estou eu trazendo mais um top 5 com temática da Disney. E preciso admitir: é muito difícil de escolher qualquer coisa deles. Provavelmente existirão segundas partes disso aqui!
Dessa vez é com as músicas. Quais são minhas favoritas? Cara, eu queria botar tantas aqui, mas foi complicado. Bem, considerem este tópico até os filmes dos anos 90, ok? Depois farei um só de 2000 para cá!
Bora pro top então!

5- Music in your soup - Branca de Neve e os Sete Anões
Esta primeira é uma música deletada e que adoro e muito. No final do meu VHS - idosa detectada - tinha o making of do filme e falavam dessa música, que ficou apenas na parte dos traços. Quem tiver chance, assista até a cena que vem antes dessa música que são os anões se lavando. ahha

4- Somente o Necessário - Mogli
Mogli não é dos meus filmes favoritos da Disney. Amo? Amo muito! Especialmente o Kaa, a cobra com sinusite. (Me identifico!)
Gente: "Necessário, somente o necessário, o extraordinário é demais!"

3- Sentimentos são - A Bela e a Fera
Admito que assisti A Bela e a Fera bem mais velha, mas mesmo assim, amo! Bela tá na Toplist de princesas. (Mesmo a síndrome de estolcomo e talz.)
E bem, a cena em que essa música toca é uma das melhores do filme! Tanto que até o live action fez a mesma coisa! Deixando a versão o live action deste ano.

2- Reflexão/Imagem - Mulan
Aqui já começa o "Eu já esperava de você, Anelise".
Tá na cara que amo Mulan. E bem, Reflection é minha música favorita do filme. Mas ela virou quando cresci e entendi o significado da letra. Que é se sentir deslocada e em busca do seu próprio eu. "Quem é que está aqui, junto a mim, em meu ser. É a minha imagem!"

1- Cores do Vento - Pocahontas
Eis a grande surpresa! SQN
Tava mais que estampado já no título qual seria o primeiro lugar. hahaha Eu sou clichê e previsível mesmo! Tenho vergonha não!
Uma tristeza que acho que só eu gosto dessa música. Ninguém lembra dela. #sad
Um dia estavam cantando Disney no estágio e bem, nem consegui botar essa música na rodinha. Nem reflection eu consegui!
Enfim, essa música fala sobre tanta coisa, sobre respeito, sobre natureza, ai gente... "Com as cores do vento colorir!"

Bem, gente! Este foi o Top 5 de hoje. Digam ai quais são as favoritas de vocês.
Até a próxima!
Beijos!

Minha primeira vez no NaNoWriMo (Vídeo)

sábado, 16 de dezembro de 2017
Olá, pessoal!
Novembro passou voando e bem ocupado que nem tive tempo de fazer um post sobre o NaNoWriMo e nem contando a minha experiência.
Enfim, é aquele ditado: Antes tarde do que nunca! Cá estou eu para contar como foi participar.
Eu escolhi o melhor ano para fazer, justamente como o estágio e o TCC junto quase me comendo todos juntos e rindo maleficamente no final. (Só faltou dizer: Se fodeu!)
NaNoWriMo (National Novel Writing Month) é um mês onde autores de várias partes do mundo se propõem a escrever um livro (continuar, terminar, fazer um do zero). A quantidade de palavras é 50 mil. É muita coisa, eu sei! Sabia bem que não conseguiria, mas o NaNo é algo bem pessoal de cada autor, então, coloquei a meta de 500 palavras por dia só! O livro escolhido foi O Diário da Escrava Amada. Deram umas 16mil se contar o mês todo.
Eu conto mais detalhadamente no vídeo. Confiram!

Kyon #31: Aparições da Anelise como autora - Parte 3

terça-feira, 12 de dezembro de 2017
Olá, pessoal! Kyon aqui! Quanto tempo né?
Enfim, estou aqui para falar um pouco mais da Anelise autora.
Não sei se sabem, mas acabou que ela meio que viralizou na época da Bienal 2017, tudo por causa da foto usando o seu avental dentro do Rio Centro.
E consequentemente ela apareceu em alguns sites e até uma revista por conta disso. Isso pediu mais uma edição das aparições dela. Vocês podem ver a Parte 1 e a Parte 2.



Esta é uma entrevista, onde ela fala um pouco sobre a história do avental, sobre seu início na escrita, sobre seus sonhos.



Mais uma entrevista sobre a bienal, falando sobre a carreira literária e sobre a sessão de autógrafos na Editorial Hope.



Este é um artigo, feito por Marcos Mota, contando sobre a história dela na bienal e dizendo sobre as dificuldades de ser autor inicial e independente no Brasil.

Bem, pessoal, ainda teremos mais uma parte na minha próxima postagem.
A maioria acabará sendo entrevistas mesmo. Alias, detalhe, Anelise, como boa estudante de jornalismo, ficou só observando a capacidade de apuração de informações de quem a entrevistou. Só julgando essa safada! haha
Deem uma lida nas entrevistas, tem bastante coisa legal!
Até a próxima!
Beijos de Kyon!

Música #05: Aya Hirano

sábado, 9 de dezembro de 2017

Olá, pessoal! E bem-vindos a mais um post de música no blog.
Para hoje, escolhi mais umas das minhas seiyuus favoritas (e que por um tempo esteve no lugar da Minorin como a favorita): Aya Hirano.
Aya Hirano é seiyuu, cantora, atriz japonesa, nascida em 8 de Outubro de 1988. Sua carreira começou bem cedo, como atriz e cantora, participando de alguns doramas e da girlband Springs. Sua estreia como seiyuu foi em 2001, no anime Tenshi no Shippo.
A banda Springs durou até 2004 e Aya só voltou a carreira musical em 2006, com o single Breakthrough. Depois veio o single Bouken Desho Desho?, que é tema da abertura da primeira temporada de Suzumiya Haruhi no Yuutsu. E foi ai que eu a conheci, junto com todo o universo das anisongs e do seiyuus. Foi Suzumiya Haruhi e Aya que me botaram nesse mundo (junto com a Minorin).
Aya tem um estilo bem rock em suas músicas, que era algo que meu eu na adolescência adorava (e adoro até hoje). E claro, algumas são muito animadas.
Seu primeiro álbum, Riot Girl, tem músicas marcantes, como Love Gun e MonStAR.






Por conta de Suzumiya Haruhi ela se destacou como dubladora e especialmente como cantora. Tanto que em 2009, no Animelo, ela fez um collab com a Nana, cantando DISCOTHEQUE e MonStAR. (Falei disso no Top 5 desta tema.)
Em 2009, teve o segundo álbum dela, Speed Star, como música como Super Driver (abertura da segunda temporada de Suzumiya), Set me Free, Sing a Song! e Unnamed World.
Porém, lá para 2010/2011, Aya se envolveu num escândalo, onde circularam boatos de que ela tinha dormido com um dos membros das banda dela. Mas, isso não passaram de boatos. A outra treta foi que ela disse em entrevista que já tinha namorado Bem, dentro da mídia japonesa, considerando que ela era idol, era um absurdo. Aconteceu dela perder basicamente toda a fama que tinha e sair de agência e até trocar de gravadora.







Ela apenas continuou dublando os personagens que já fazia. A carreira musical teve um breve hiatus e ela voltou em 2012, com o álbum Fragments. Depois teve o single ToxxxIC, em 2013. Seu último lançamento musical foi o álbum vivid, em 2014.
Atualmente, ela está apenas dublando e trabalhando no teatro. Eu a sigo no instagram e fico vendo tudo haha E no mês de Agosto, no Animelo 2017, ela cantou a famosa Hare Hare Yukai, encerramento de Suzumiya Haruhi com as também seiyuus Minori Chihara e Yuko Goto.






Bem, quanto a músicas favoritas dela, não sei dizer. É tão difícil quanto a Minorin. haha Acontece!
Mas algumas das músicas listadas aqui são minhas favoritas dela sim. Alias, Aya é maravilhosa e super divertida, vale a pena assistir aos clipes delas porque eles tem a mesma pegada.
Espero que tenham gostado de conhecer um pouco sobre a Aya.
Até a próxima!

Assistindo, Lendo, Etc... #4: Novembro 2017

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Olá, pessoal! Mais um mês começando e está na hora de falar do eu andei assistindo ou lendo e até escrevendo. Ainda com o mês agitado e tenso que foi Novembro!
Enfim, sem mais delongas, vamos lá!
Começando pelas séries que ainda estou assistindo...

A primeira é Jane The Virgin, que como disse antes, estou vendo com o pessoa lá onde faço estágio. Todos os dias durante o almoço, é um episódio. Estamos na Temporada 2, Episódio 3, se não estou enganada.

E claro, continuo vendo Reign. Um episódio aqui, outro lá, ou até vejo uns quatro em sequência.
Gente, adoro temática medieval e essa série não para de ter treta! Estou na Temporada 2, Episódio 7.

E também vi um dos novos filmes da Netflix: Reality High. É bem filme adolescente mesmo, só para a gente relaxar, rir e até ficar meio puta de lembrar como o ensino médio é uma coisa muito fdp algumas vezes.
Adorei o casal principal do filme ser negro! <3

E indo para os para coisas japonesas/chinesas/coreanos/asiáticas que vocês sabem que eu gosto.
A começar por Blazing Transfer Students Reborn, um dorama de comédia no maior estilo japonês de ser. Ele é baseado num mangá e anime de nome Blazing Transfer Student. Nessa nova geração, temos sete garotos chamados Kakeru, que são transferidos para uma escola e um deles será escolhido como o "novo estudante em chamas". É curtinho, mas não menos divertido, foi realmente uma surpresa, porque eu fui ver de mente aberta. (E muita coisa que acontece se explica pelo detalhe de ser o mesmo diretor de Detroit Metal City, que falarei um dia no blog.)
O dorama é encenado pelos membros da banda Johnny's West.

E finalmente tô vendo algum anime nessa vida. Dessa vez, tô vendo Fate Zero, que faz parte da série Fate Stay Night, que é baseado num jogo de mesmo novo.
Em suma, são magos que invocam antigos heróis de contos e lendas, numa luta pelo Santo Graal, que é capaz de realizar um desejo.
Os personagens são muito legais e tem bastante luta no anime e eu acabo vendo vários episódios de uma vez. haha Estou na segunda temporada já!

E claro, temos o Wu Xia da alegria, porque eu não consigo viver sem ver um dorama épico cheio das guerras e tretas. E este Princess Agents!
Eu não sei descrever porque tem tantos episódios e eu não cheguei nem na metade, tô nem perto dentro dos quase 60 episódios. (Wu Xia é para guerreiro mesmo assistir!)
Temos a Xiaoliu, que tipo uma puta personagem foda, que sabe de todas as tretas. haha Bem, ela faz de tudo para salvar a própria pele e manter seus ideiais.
A China antiga era um local difícil de se viver, qualquer coisa e você era executado.

Indo para as leituras...
Bem, Novembro foi um mês recheado de leituras... Para o TCC! haha Alias, foi o mês do meu TCC. Eu nem mexi nele em Outubro e tive que correr para terminar em Novembro. Os feriados salvaram a minha vida, porque sem eles não sei nem o que teria feito.
Bem, mas tivemos uma leitura sim. Eu betei o livro da Beatriz Cortes e da Duda Razzera: O Destino escolheu Você. Vocês podem conferir a resenha aqui!

Novembro foi realmente o mês da loucura, porque além de TCC também decidi participar do NaNoWriMo, com meu livro O Diário da Escrava Amada.
Não pus uma meta grande, apenas 500 palavras por dia e acreditem, eu escrevi uns dez capítulos em um mês. Deu bem certo, apenas três dias que fiquei abaixo da meta, mas por motivos importantes. (Um deles foi meu aniversário!) Foram quase 16 mil palavras no total!
Enfim, farei um vídeo sobre minha primeira experiência no NaNo e colocarei aqui.

Pessoal, esse foi o "Assistindo, Lendo, Etc..." referente a Novembro.
E vocês? O que viram mês passado? Contem ai!
Beijos!

Resenha #36: O Destino escolheu Você

sábado, 2 de dezembro de 2017
Olá, pessoal!
Cá estou eu hoje, trazendo mais uma resenha no blog.
Desse vez, é de um livro que eu tive a honra de ser beta. O livro em questão é o O Destino escolheu Vocês, da Duda Razzera e da Beatriz Cortes.
Elas fizeram um sorteio para escolher as pessoas que leriam o livro e bem, fui uma das que o destino escolheu.
Admito ter tido bastantes dificuldades para terminar a leitura dentro do prazo, mas consegui ler ele todinho e já mandei o feedback para elas. Contudo, eu prometi uma resenha também!
Então, vamos lá! (Obs: Capa provisória!)


Sinopse: Gabriela é uma renomada diretora de cinema e Gustavo, um aspirante a ator e advogado. Quando Jonas, o mentor de ambos adoece, o destino trata de colocá-los frente a frente em um projeto. Mesmo em meio à tantas diferenças, eles precisam embarcar nessa jornada juntos por amor a única coisa que eles têm em comum: a arte. Entretanto, um acontecimento inesperado em seu caminho provoca um turbilhão de emoções que reabre antigas feridas. Quantas vezes nos sentimos identificados com um filme, uma peça de teatro, o personagem de um livro, ou qualquer representação da arte sobre a humanidade em todos os seus aspectos? "A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios" e Gabriela e Gustavo aprenderão isso da maneira mais difícil.

O Destino escolheu Você é narrado em primeira pessoa e sob dois pontos de vista, cada um dos dois protagonistas: Gustavo e Gabriela.
Ambos tem 27 anos, mas têm pensamentos e experiências muito diferentes em sua vida. Gustavo trabalha num escritório de advocacia - tendo também formação em direito -, mas seu grande sonho é ser ator. Tanto que ele faz curso de teatro e até tenta umas pontas em comerciais.
Gabriela é uma grande diretora de cinema, que conseguiu o sucesso através das grandes produções, porém ela era uma viciada em trabalho e por conta disso acabou perdendo o marido, ou melhor, o marido, Pietro, a traiu.
Pode parecer que os dois não tem nada em comum né? Mas acreditem, eles tem coisas em comum sim, a começar pela arte, depois pelo detalhe de terem perdido entes queridos e ainda tentam curar suas feridas do passado.
O destino resolve brincar com eles quando os junta da forma mais inusitada. Ambos tem um mentor e professor em comum: Jonas. Que acaba adoecendo e tem que se afastar um tempo das aulas de teatro, então, ele coloca Gabriela para substituí-lo. É ai que começa a relação de amor e ódio desses dois e a coisa só piora quando eles descobrem que vão terão que trabalhar juntos no novo filme que Gabriela está produzindo.
Adorei a dinâmica da troca de narrador, dá algo a mais no livro. Admito que achei o Gustavo mais divertido, até porque, eu tenho um fraco por narrador masculino. haha
Adorei como a história se desenvolveu, com os altos de baixos dos personagens. E bem, alguns dramas que os romances também tem.
Os personagens são maravilhosos e em alguns pontos até muito divertidos, ate a Gabriela, que é meio fechada, é engraçada algumas vezes.
Porém, teve uma coisa que me incomodou durante a leitura. De um capitulo para outro algumas partes se repetiam, maioria das vezes, sequências de falas, apenas com leves mudanças na descrição. Isso numa leitura, por exemplo, de Wattpad, é uma boa, pois ajuda o leitor a se lembrar do que aconteceu brevemente, sem que ele volte ao capítulo anterior. Porém, numa leitura sequencial como  eu fiz, acaba incomodando. "Eu não acabei de ler isso? Por que preciso ler de novo?"
Fora isso, amei e muito o livro. Especialmente o epílogo, que é narrado por um terceiro personagem muito especial!
Meninas, agradeço por terem me dado a oportunidade de ler o livro de vocês em primeira mão. Estão de parabéns! <3

Bem, pessoal, esta foi a resenha do blog hoje.
O TCC tá concluido e só falta apresentar, então, estou voltando com o blog aos poucos, porque o período ainda não acabou.
Mas, estamos de volta a programação normal!