Kyon #46: Sinopses Remake ~Episode 4~

terça-feira, 29 de janeiro de 2019
Olá, pessoal! Tudo bem?
Kyon aqui, de novo. Sentiram saudades de mim? Haha
Cá estou eu hoje trazendo mais um episódio do "Sinopses Remake". No meu antigo Blog costumava comentar as sinopses dos livros da minha protegida.
Então, resolvemos unir o útil ao agradável e ela refaz as sinopses e eu refaço meus comentários. Esta é a quarta postagem dessa nova versão. Estamos chegando no final das primeiras histórias e em breve teremos as sinopses de alguns contos e outras histórias curtas.
As de hoje são: Super Gata e Sasaki, a mulher samurai.
Sem mais enrolação. Bora lá!

Super Gata
Guinevere é uma garota comum, um pouquinho geek e até otaku. Sua melhor companhia é o melhor amigo: John.
No seu aniversário de 16 anos, seu pai lhe dá uma gatinha branca de presente, a quem a menina chama de Shigure.
Porém, a sua vida relativamente normal está para mudar.
Após alguns dias, Shigure revela que é uma felina especial e concede poderes a sua dona. Assim, Guinevere se torna a Super Gata, uma defensora da cidade. A única pessoa que sabe do segredo é seu melhor amigo!
Mas, essa não é a única coisa nova na vida dela. Aparecem dois alunos novos em sua escola, Kyohei e Gabriela. E eles tem relação direta com a identidade secreta de Guinevere.
Só que ela não precisa se preocupar em ter sua identidade descoberta. Afinal, a noite é sempre escuro!

Comentários do Kyon: Esta foi uma das primeiras histórias a serem pensadas, junto com As Super Agentes quase. Era uma daquelas histórias que ela brincava também na infância.
É uma história bem leve e divertida, repleta de personagens da mesma forma. Alias, os nomes das nossas heroínas são inspirados em pessoas de verdade. A Guinevere é um webamiga e a Gabriela é de um menina que fez curso com ela na época em que começou o livro.
E eu não sei o que Anelise tem com a palavra "Super", ela adora essa palavra.
Alias, essa história tem uma primeira versão que foi escrita em um conto uns anos mais tarde. A própria gata era a Super Gata. Inclusive, essa versão fez o caminho inverso de alguns personagens de RPG que tiveram sua história escrita, lê-se: Era um conto, virou personagem de RPG.


Sasaki, a mulher samurai
Sasaki foi rejeitada por sua mãe assim que nasceu, pois ela queria um menino. Sendo assim, ela foi criada pela avó e por seu pai, que era um samurai.
Então, desde a tenra infância, Sasaki foi treinada para ser uma samurai, como o pai e o irmão, que nasceu um ano depois dela.
Quando atinge idade suficiente, Sasaki sai de casa para honrar seu futuro e sua família.
O que ela encontrará em seu caminho? Bem, ela mesma vai contar!

Comentários do Kyon: Essa foi uma das primeiras histórias que ela publicou nas plataformas de publicação online, como o Nyah e o Wattpad, lá em 2011/2012, que foi quando começou a usar esses sites.
Ela é típica heroína que gosta, que é a mulher diferentona da sua época. E não conhecia o termo onna bugeisha na época em que começou a escrever a história, mas a Sasaki se trata exatamente disso.
E claro, a história terá que ser reescrita porque a parte histórica tá toda errada e completamente inexistente. Isso que dá escrever na loucura.
E a Sasaki é a primeira experiência dela narrando com uma voz feminina. O que é algo raro até hoje!
E bem, ela desanimou um pouco dessa história porque apareceram outras com a temática bem parecida. Ai complica!

Bem, pessoal, essas foram as sinopses de hoje. E ai, gostaram?
Eu espero que sim. Até a próxima!
Beijos do Kyon!

Minhas Metas para 2019! (Vídeo)

sábado, 26 de janeiro de 2019
Olá, pessoal! Como vão? Espero que bem!
Enfim, quase finalzinho de Janeiro e cá está meu vídeo com minhas Metas para 2019.
Aproveitando que passou aquela euforia do Ano Novo, a gente pensa com mais calma para listar as metas.
E vocês? Quais suas metas pro ano? Comentem ai!
Espero que gostem do vídeo.
Até a próxima!

Sex Education (Série Netflix)

terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Olá, pessoal, como vão? Eu espero que bem!
Tem quanto tempo que eu não falo de alguma série aqui no blog? Tem um tempo, não costumo falar muito!
Enfim, hoje vim falar um pouquinho sobre essa série que estreou recentemente na Netflix, mais um original deles: Sex Education.
Admito que não gosto de assistir séries que estão muito populares. Vi a indicação no twitter, porque no twitter eu confio e fui assistir. Fui surpreendida!
A série se trata de tudo o que uma série adolescente tem. Escola, família e sexo! haha (Melhor explicação. -sqn) O protagonista da série é o Otis - que é o Asa Butterfield -, um adolescente de 16 anos que ainda é virgem e bem, ele nem consegue se agradar sozinho. (Parece com algum personagem meu! Pelo menos a primeira parte! haha) Ele está sempre acompanhado do melhor amigo (e a mona gay diva maravilhosa): Eric.
Ambos tem experiências sexuais ínfimas se comparadas aos outros colegas de escola. Eles chegam no primeiro dia de aula dispostos a mudar a situação, ou fazer o melhor para tal.
A mãe de Otis é uma terapeuta sexual, essa é a especialidade dela, ela cuida de casos com problemas do tipo. Então, Otis acaba entendendo bastante da teoria por pura osmose. haha
No primeiro episódio, ele se junta com a Maeve para ajudar a uma amiga dela, porque o namorado dela acaba tendo um pouco de dificuldade na hora da relação. De um modo meio conturbado, eles até resolvem a situação, porque a pessoa ajudada é meio doida. E nesse interim, mais a Maeve - que é pouco ferrada - do que o Otis vê isso como um modo de ganhar dinheiro e ainda assim fazer algo bom por aqueles adolescentes cheio de fogo e experiência nenhuma. Então, eles abrem uma clínica. Otis é o terapeuta e quem ajuda os pacientes e a Maeve cuida da parte financeira.
A série desenvolve dai, mas ela não é só isso! É bem mais!
No começo, ela até tinha as cenas apelativas demais, não entendi porque a Netflix colocou cenas assim nos primeiros episódios e mais para frente as cenas foram ficando mais leves até.
É legal ver a relação dos personagens e em como eles são complexos em alguns pontos. Diversos tipos de assunto, como o Eric ser gay e esconder isso da mãe dele especificamente; a mãe do Otis dormir com um cara diferente toda noite - e tá tudo bem com isso para mim -; a rivalidade feminina.
É uma série que fala de várias assuntos da maneira que tem que ser. Não é leve a palavra e sim, divertida. É uma série divertida! A gente senta para ver e fica rindo porque quando a gente era da idade deles fazia igualzinho. ahah
A recomendação do twitter foi boa e eu curti bastante. Estou recomendando a você também! São só 8 episódios, então dá para ver rapidinho. 


Minha meta de Leitura 2019

sábado, 19 de janeiro de 2019

Olá, pessoal! 
Como estão? Eu espero que bem!
Enfim, hoje quero falar um pouco sobre a Minha Meta de Leitura para 2019. Estou com as leituras bem acumuladas e que estabelecer uma meta de leitura para o ano. E estou usando o Skoob para poder listá-los. Vocês podem me adicionar lá, se quiserem!
Enfim, esses foram os livros e mangás que restaram de 2018.
Eu não li mesmo foi por falta de tempo e de organização, juntando com uma pequena ressaca literária dupla. haha
Enfim, tem um livro que estou lendo ainda, que é o Cavaleiro Negro do Davi Paiva, vou terminá-lo e resenhar aqui no blog.
Nos para ler ainda, tem a novel da Suzumiya: A Melancolia de Haruhi Suzumiya, que é o primeiro da série.
Tem também os mangás piloto de Sailor Moon: Sailor V. É focado na Minako, a Sailor Vênus.
Por último, o livro Alvorada da Bia Carvalho. Nunca li nada da autora e estou curiosa e ansiosa!

E entrando nessa lista, vão ter as leituras de autores que pediram resenha do livro.
Primeiro quero pedir perdão se eu for demorar, mas não é por mal. Eu sou enrolada, mas não deixo de cumprir a minha palavra.
São dois livros: Sangue de Dragão do Denis Ibañez e o Nostalgia da Nana Lees.
E vou priorizar esses livros na leitura, porque odeio ficar devendo coisa.


E para incluir nessa lista, uns mangás oneshot também, que são Carnaval Glare, 1 Litro de Lágrimas, Coin Laundry Lady. Todos eles serão resenhados aqui no blog também.

Enfim, bem brevemente falando sobre a meta de leitura. Claro que durante o ano, ela deve mudar. Devo acrescentar ou tirar algumas coisas.
E vocês? O que querem ler neste 2019? Comentem ai!
Eu quero é trazer bastante coisa legal para o blog neste ano, incluindo mais resenhas.
Até a próxima!

Precisamos falar sobre... #17: Saúde Mental importa

terça-feira, 15 de janeiro de 2019

Olá, pessoal! 
Primeiro post oficialmente de volta da viagem. E ironicamente, falarei um pouco sobre ela hoje.
Eu sinceramente fiquei muito na dúvida em qual tipo de post poderia fazer para o tema que pensei. Podia ser tranquilamente um texto normal, mas achei legal colocar como mais um "Precisamos falar sobre..." que tá virando para temas importantes e não só polêmicos.
Enfim, eu passei a última semana viajando. Pela primeira na vida viajei sem mais pais, mas viajei com meu namorado. Tiveram algumas complicadas antes dessa viagem, por parte dos meus pais, não minha, mas deu tudo certo. Mas, deixo para contar com mais detalhes lá no Garota Zodíaco. (Vai sair o post de lá esta semana ainda.)
Acho que essa viagem foram as férias que eu tava precisando de verdade. Foram alguns dias longe, sem meus pais, num lugar novo, foi a melhor coisa.
Eu fiquei uma semana sem me preocupar com nada. Nem com comida, nem com arrumação de casa, nem com as coisas do blog - só soltar as postagens, que é rápido-, nem com ficar mandando currículo. Não tinha que dar satisfação de nada. Não que estivesse sozinha, estava de visita na casa de outra pessoa, mas mesmo assim estava um pouco a vontade, admito.
E por que estou falando disso? E o que isso tem a ver com o título?
Eu percebi só quando voltei o quanto eu fiquei mentalmente bem. Ter me afastado e me desligado das preocupações e das responsabilidades um pouco fez um bem danado a minha saúde mental.
Não chego a comentar aqui no blog, mas tem dias que estou sobrecarregada de coisas, sejam minhas mesmo, como os livros até aqui, e também de outras pessoas que pensam que eu não tenho nada para fazer e ficam me arrumando o que fazer.
Creio que não seja assim só comigo, mas com todo mundo. Já falei aqui também como me sinto vendo que algumas coisas simplesmente não dão certo, ou o quanto de tarefas estão acumuladas e o tempo acaba sendo curto. Quanto mais a gente cresce e vai amadurecendo as responsabilidades vêm e tem horas que nem nós mesmo aguentamos tudo.
Admito que tem dia que fico me sentindo o maior lixo, sem drama e nem bobeira, é por causa do que citei acima. E sim, fico mal por isso. E tá tudo bem ficar mal! 
Mas, o mais importante, que eu estava esquecendo de fazer é de cuidar de mim mesma, não só em questão de saúde do corpo, mas a da mente também. E creio que a viagem foi ótima nisso! Minha mente tava precisando de descanso.
E assim, eu faço terapia. Todo semana estou lá. Isso também é bom para a saúde mental.
Saúde mental importa! Não fica se fazendo de forte, de que aguenta tudo, que não precisa de ajuda. Pode acontecer uma hora de você se sobrecarregar, tanto fisicamente quanto mentalmente. Não é vergonha e humilhação pedir ajuda. Somos humanos e temos nossas questões.
Tudo bem você fica mal, querer alguém para conversar, querer chorar, querer gritar. Faz parte!
Mas, sempre pense na prioridade, que é você. Faça por você!
Descansar a mente ajuda. Provei disso na última semana. Não precisa ser uma viagem longa, um final de semana. Ou nem tanto, talvez um dia para passear. Mas, se desligar de tudo, TUDO MESMO.
Precisamos sim desses momentos de escape, esses momentos de se afastar.
Precisamos cuidar de nós. Sempre!

Assistindo, Lendo, Etc... #17: Dezembro 2018

quarta-feira, 2 de janeiro de 2019


Olá, pessoal! Como vão?
Espero que tenham aproveitado a bem a virada de vocês. Eu aproveitei bem a minha, afinal, tem como ter virada ruim em Copacabana. Pois é! =D
Enfim, vamos voltando a programação normal do blog. Quero avisar de antemão que estou viajando nesta primeira semana do ano, então adiantei todos os post e vou liberar pelo celular mesmo ok?
Começando o ano bem, com mais um "Assistindo, Lendo, Etc..." falando sobre o consumi no mês que passou, ou seja, no finalzinho do ano passado.
Os filmes primeiro!
Reassisti a 10 Coisas que Odeio em Você, que amo muito e De Volta à Lagoa Azul, que amo muito (2). Agora os filmes novos foram:
Batalhas, um original da Netflix que curti muito, gosto de filme de dança e o filme tem bem mais coisa que isso, só vejam!
AggRetsuko - Feliz Natal Metaleiro, é o especial de natal dessa série maravilhosa e que lembra muito Detroit Metal City. Foi muito legal ver os personagens comemorando o Natal, que para os japoneses é uma data totalmente diferente.
The Little Mermaid, é uma versão desse conto que achei bem regular, o roteiro tem um plot legal, mas do meio pro final ele corre e tudo só acontece de modo muito sem noção. Me diverti de qualquer forma!
Quando te Conheci, é uma distopia em que os humanos são privados de sentimentos e se eles tem sentimentos são tratados como doentes. A história do filme é focada num homem que se vê doente e descobre uma colega que também têm a doença, porém não se trata. E eles acabam se apaixonando!


 

Quanto as séries...
Continuei assistindo a algumas e comecei outras.
Paixão Imprevista que é meu dorama leve e divertido. Parei no Episódio 22.
The Good Place saíram poucos episódios nesse mês passado, nem sei se a temporada acabou, se vai continuar, fiquei confusa. Parei na Temporada 3, Episódio 9.
The Last Kindgom, uma série original da Netflix que eu tô vendo com meu namorado. A gente maratonou que nem dois malucos. É uma série do mesmo estilo do Vikings e que me lembra muito Entre Vidas Ruby. Estamos no Temporada 3, Episódio 8.
O Clube das Winx, como ia sair do catálogo da Netflix, maratonei a terceira temporada que nem louca. Pelo menos matei mais uma saudade do desenho. Parei antes da Temporada 4.
Irmão do Jorel, que é um desenho nacional, ouso dizer o meu favorito atualmente. Tem a pegada de lembrar as coisas dos anos 80 e 90. Assistam esse desenho. Sério!
E tem o anime Backstreet Girls, que é sobre caras da yazuka que são obrigados a mudar de sexo e virar idol. Premissa bem doida e o anime é muito engraçado. Estou na Temporada 1, Episódio 3.
 



Quanto as músicas, só teve um álbum. É o Perfect Parallel Line da Minami
Ele saiu no final de Novembro, mas eu ouvi ele em Dezembro. E tinha tava uns anos sem lançar um. Esse álbum tá maravilhoso! 

Quanto as leituras, estou lendo só Cavaleiro Negro do colega autora Davi Paiva.
Admito que estou me arrastando na leitura porque eu tenho simpatia zero pelo protagonista. E tem momentos que a história apenas acontece, sem desafio nenhum pro protagonista.
Deixarei para falar melhor quando fizer a resenha.

Quanto aos escritos... Tiveram alguns!
Aos 45 do segundo tempo de 2018, publiquei mais um conto para o Café com Letra, que é sobre os melhores gêmeos de Anelândia: Seiya e Yui.
Fiz um dos capítulos de As Super Agentes e o Livro das Magias, que é o qual eles trocam de lugar.
Demorei para escrever e fui terminar de quase no ano novo já.
Eis a capa, a sinopse e onde vocês podem ler. Chamei o conto de Twins Switch.

Sinopse: Seiya e Yui são gêmeos idênticos apenas em aparência, o que é o suficiente para confundir muitos, especialmente quando eles decidem trocar de lugar um dia ou outro. Nyah | Wattpad | Contos Anê Blog





E também tivemos capítulos novos do DEA. Um foi postado no dia 27 e outro foi postado hoje.
Cês sempre podem ler no Nyah, Wattpad e no Contos Anê Blog. E as fotinhos com trechos de divulgação, que ficaram lindas.

Bem, pessoal, é isso para este mês. Foi um bocadinho de coisa né?
E vocês? O que consumiram no finalzinho de 2018?
Comentem ai!
E até a próxima!

Kyon #45: Síndrome "mal-amada"

Olá, pessoas! Kyon aqui! 
Todos bem? Curtiram o ano novo? Eu espero que sim!
Anelise ainda está viajando, então vim fazer logo minha primeiro
Também chego nesse 2019 com tudo aqui no blog. Preparando sempre postagens legais para vocês e relembrando algumas das que já escrevi. E este é o caso de hoje, uma postagem de Maio de 2015 do Blog do Kyon: Síndrome "mal-amada". Na verdade, acho que o texto ainda deve ser atual, porque ela se sente assim de tempos em tempos. Cês vão entender quando lerem.

Síndrome "mal-amada"
Sabe quando você posta uma foto nova no facebook? Ou você realmente compartilha algo interessante? Ou você realmente compartilhar algo que queria muito compartilhar com as pessoas?
Isso é uma situação muito comum atualmente, por causa das redes sociais.
Mas ai é que vem o drama: E quando praticamente nada do que você posta recebe alguma reação das outras pessoas? É exatamente isso que acontece com Anelise. E ela chama carinhosamente de Síndrome mal-amada.
Dessa forma que ela se sente quando fica no vácuo na internet. Mas não é só por causa pura e simplesmente disso não.
Ela acaba olhando outras postagens de outras pessoas e vendo o quanto são curtidos e comentados, isso é feito com muito carinho para com elas. Ai ela fica se perguntando o porquê e o que ela faz de errado. Claro que ela é diferente dessas outras pessoas, mas ela posta praticamente as mesmas coisas que elas. Só tem a diferente de amor mesmo.
E acreditem, não é drama, não tanto assim. É uma teoria comprovada tanto por mim quanto por ela. Vemos isso direto!
Quanto ela posta foto sozinha, as curtidas são poucas. Quanto ela posta foto acompanhada, seja da Athena, da mãe, do irmão, tem uma quantidade de curtidas maior.
E ela se pergunta qual é o problema das pessoas com ela.
E a mesma coisa acaba acontecendo nas histórias que ela posta pela internet. E continua se perguntando o que há de errado com ela.
Anelise, não tem nada de errado contigo, as pessoas é que não te entendem. Você está acima da compreensão delas.
Eu sei que você já tem consciência disso, mas ainda sente de vez quando. Isso faz parte!

Então, pessoal, esse foi o post de hoje. Espero que tenham gostado.
E vocês também passam por algo parecido? Comentem ai!
Até a próxima!
Beijos do Kyon!

Top 5 #42: Melhores Álbuns 2018


Olá, pessoal! Tudo bem?
Quero lembrar a vocês que estou viajando, então apenas deixei os posts prontos e estou liberando pelo celular mesmo.
Trago a vocês hoje o primeiro top 5 do ano e como todo o início de ano pede é sobre os melhores álbuns de 2018. Obs: Lista pessoal, é claro! Então, por meu estilo musical ser diferente da maioria, vocês vão discordar de mim!
Bora lá então!

5- TROUBLE - Ayumi Hamasaki / Perfect Parallel Line - Minami / Square Up - BLACKPINK
Aqui entram as menções honrosas. Até porque o álbum da Ayu é mini e tem músicas de destaque. O álbum da Minami foi o último que ouvi no ano passado e foi uma vez só, mas eu curti mesmo assim. E temos nossa cota de K-pop com as meninas do BLACKPINK que eu amo e muito!


4- STARTRAIN - Ono Daisuke / Take the TOP - Ono Kensho
Espacinho dos seiyuus masculinos. E tivemos álbuns bons deles. Ironicamente são de dois Onos e dos Jojos. hahah (Quem é otaku entendeu!)
OnoD veio com esse álbum maravilhoso e que amei muito. E eu amo o estilo do OnoKen, o álbum só veio para concretizar isso.
 

3- Emotion - Minako Kotobuki / HAPPY END - Masami Okui
Mais J-pop!
Eu amo estilo musical da Minako, é um rock tão adolescente e leve e que me diverte muito.
Já a Okui-san é uma das rainhas da anisong, e não lembro se já disse aqui, mas eu prefiro a carreira solo dela do que no JAM Project. Esse álbum dela tá só amor!
 

2- Heart of the Hurricane - Beyond the Black
E aqui entra o único álbum de não é de música asiática.
Eu fiquei ansiosa por esse álbum desde que foi anunciado. E sem dúvida, junto com o primeiro lugar foi um dos que mais ouvi esse ano. Eu ia escrever e botava esse álbum, porque todas as músicas são boas e ele fecha tão bem. Sério, só escutem!
Alias, "meu 2018 no spotify" foi do Beyond the Black só por causa dele. E claro, temos o hino chamado Parade. =D

1- SPIRAL - Minori Chihara
Acho que essa opção já era mais que óbvia. O primeiro lugar é sempre da Minorin quando ela lança álbum, ainda mais depois daquela coisa mais ou menos e sem sal que foi o Innocent Age. SPIRAL chutou a era passada pra fora e inaugurou outra fase da diva. O álbum tem sim músicas marcantes e dá para ouvir ele todo numa tacada só e sem enjoar.
Destaque para Little Wing, aka melhor música desse álbum.

Este foi o Top 5 de hoje.
E vocês? Quais foram seus álbuns favoritos do ano que passou?
Comentem ai! Vamos trocar!
Até a próxima!