Top 5 #38: Vídeos favoritos do meu canal no youtube (Ane-chan's)

sábado, 21 de julho de 2018

Olá, pessoal! Como vão? Espero que bem!
Trago para vocês mais um Top 5, dessa vez para falar um pouco sobre o meu canal no youtube, que eu tenho desde 2010/2011 e desde lá que eu gravo vídeos. Eu compartilho os mais recentes por aqui no blog, mas os mais antigos acho que alguns de vocês nunca viram. Então, ontem, enquanto fazia o almoço, tive ideia de listar a vocês quais são meus vídeos favoritos do canal.
Alias, o nome do meu canal é Ane-chan's.
Sem mais delongas, bora para o Top né?

Menção Honrosa: PVs Fanmade: Hero - Aya Hirano e Tea for two - Minori Chihara.
Foram os primeiros vídeos que eu fiz na vida. Eles são do longínquo ano de 2010. Eu sempre me provando a fã de Seiyuus que sou. haha

5- Tags com o namorado
Essas tags são do ano de 2016, eu gravei duas com ele: Ele ou Ela e Testando o Namorado. Foram vídeos divertidos de gravar e de editar. Eu me divirto vendo eles até hoje.

4- Reagindo a fotos antigas
Esse é um daqueles vídeos que eu tive a ideia na hora e resolvi gravar. Já tinha visto diversos vídeos desse estilo e apareceram umas fotos antigas lá em casa. Então, por que não?

3- Tag: Seiyuus / Tag: Minori Chihara Literário
Acho que tags são uma das coisas que mais adoro fazer no canal, por isso que já é a segunda vez que elas aparecem nesse top. Essas são de dois vídeos até que recentes, o primeiro é de Abril deste ano e o outro é de Novembro do ano passado. Provando novamente a Seiyuu Fan que eu sou!

2- Mangá Hentai
Esse foi um dos primeiros vídeos do canal. Acho ele engraçado até hoje. E confesso a minha vontade de regravá-lo para acrescentar algumas coisas que estar mais envolta neste universo me ensinou. Quando gravei o vídeo era bem noob.

1- Vida de Míope
E sim, este é meu favorito. Acho que retratei tanto a minha realidade de ir ao oftalmo e usar óculos, tudo feito de um modo que me arrancou risadas quando gravei e até hoje quando dou a louca de reassistir.

Bem, pessoal, é isso!
Quem sabe ainda não faça um futuramente um top desse mesmo estilo com o canal do Contos Anê, que inicialmente eram postados neste canal principal, depois que eu separei.
E revendo algumas coisas aqui dá para perceber o quanto evolui com o canal. Mesmo que grave pouco, eu gosto muito de falar para uma câmera e depois deixar para os outros verem.
Espero que tenham gostado!
Até a próxima!


Divulgação: Contos Anê Loja

terça-feira, 17 de julho de 2018

Olá, pessoal!
Como estão? Eu espero que bem!
Estou interrompendo a programação normal do blog para lhes contar uma novidade e fazer uma divulgação também.
Eu finalmente abri uma Lojinha para venda direta dos meu livros. Estou aproveitando que ainda tenho alguns livros das antologias das quais participei e coloquei todos à venda.
O valor está super em conta e o frete também. Temos vários métodos de pagamento, tudo pelo PagSeguro, que é super confiável.
Então, não percam a chance, pois todos os livros vem autografados e com marcadores + um abraço virtual e um agradecimento imenso.
E obviamente, os próximos livros, sejam antologias ou solo, estarão a venda na lojinha.
Eis o link: http://bit.ly/LojinhaCA

E tivemos já nossa primeira compradora. Eu mandei a encomenda dela ontem mesmo, então daqui uns dias deve chegar. Olha a fotinha que eu postei no meu stories do insta ontem.

Eis aqui todos os livros disponíveis, por enquanto, pois tenho poucos exemplares sobrando de cada um. Todos são antologias!



Quero ver todo mundo visitando a lojinha hein?
Até a próxima!

Bullet Journal: Junho e Julho (2018)

sábado, 14 de julho de 2018
Olá, pessoal! Como vão? Espero que bem!
Mais um bimestre se passou e com ele trago novamente a atualização de a quantas anda meu Bullet Journal. No bimestre anterior completou 1 ano que comecei a usar e contei um pouco sobre como foram minhas experiências durante o 1º ano de uso.
Dessa vez trago como ficaram as artes - quando digo isso refiro-me a uma de criança, porque meus dotes para desenho são quase nulos.
Então vamos aos Bullets de Junho e de Julho. Foram meses mais clean, admito!
A começar pelas capas!
Em Junho, acabei repetindo o tema do ano passado, sobre namorados. Até porque é o mês do meu aniversário de namoro. E venhamos e convenhamos que tem hora que é complicado ter ideias novas para decorar o Bullet. Aproveite e usei uns adesivos fofinhos e com bichinhos para decorar.
Em Julho, aproveitei a festividade tradicional brasileira e fiz com o tema de Festa Julina. Usei e abusei das bandeirinhas e das cores. As letras são os detalhes de remendo das roupas. E claro, tenha que ter uma fogueira na capa.

 A próxima é a Tabela de Escrita.
Em Junho, ficou bem básica, com o título colorido e dois adesivos nos cantos, só para enfeitar a página.
Em Julho, foi super fail. Tentei fazer o título como uma faixa, mas acabei ficando seu lá o quê, nem eu sei o que aconteceu ali. E em baixo, desenhei os noivinhos com os detalhes das roupas em vermelho. Eles ficaram sim fofinhos!

Já a Tabela de Hábitos...
É sempre super trabalhoso desenhar todos esses quadradinhos com reta, porque maioria sai torto mesmo, mas mesmo assim, a gente vai levando.
Em Junho, fim com uma letra bontinha e coloquei um adesivo. Os meses com adesivos acabam sendo mais rápidos de se fazer.
Em Julho, pensei no balão que voa pelo céu para fazer ai. Ai fiz ele colorido com o céu estrelado, adorei o resultado. E claro, olha as letras remendadas ai!

Já para a Tabela de Vídeos...
Em Junho, coloquei um dos adesivos maiores em baixo e dividi o resto o meio e usando de uma letrinha mais estilo, fiz os escritos.
Em Julho, fiz a página toda em homenagem aos remendos e as costuras, a página tá toda em preto e branco, cheio das marcas de pontos da costura.

Os Assistidos e Lidos...
Em Junho, usei adesivos para escrever os textos em cima, mas acabou que ele até apagou um pouco. Aquele fail básico. Para dividir, lembrando o tema dos namorados, fiz corações com uma flecha atravessando. É a melhor parte dessa página!
Em Julho, coloquei bandeirinhas coloridas com "Assisti" e "Eu Li" para deixar essa página uma pouco diferente. E ficou bem clean também!

Já a página de Outros Projetos...
Em Junho, mais um adesivo grande com uma borda dupla, usando tons de verde da canetinha.
Em Julho, seguiu o estilo da página do Youtube, preto e branco feat. costura.

E para terminar, a página de Músicas do mês...
A de Junho adiantou o tema de Julho, pois fiz a borda imitando as mesmas costuras, usando tons de azul. Bem clean!
Já em Julho, coloquei o "Música boa do mês" com um coração remendado que passa da página. E ficou bem fofo, admito.

Em questão estrutural, meu bullet nem mudou tanto. Ainda estou em adptando as duas páginas novas, que deve ser uns três meses ai. Então, ainda estou vendo a melhor forma que elas funcionam. E como sempre, mudo um pouco o jeito de usar de tudo, porque descubro uma outra adaptação melhor.
E deixando para vocês o vídeo de Making-of, para vocês verem a desgraça da pessoa para fazer essas coisas.


Espero que minhas postagens sobre meu Bullet Journal lhes inspire a fazer um para vocês, pois é um ótimo método de organização. Ainda sou desorganizada, mas o Bullet tem me ajudado.
É isso! Até a próxima!

Resenha #41: Helena (Mangá)

terça-feira, 10 de julho de 2018

Olá, pessoas! Tudo bem?
Cá estou eu aqui novo, com outra resenha.
Só eu para ficar um tempinho sem lançar umas resenhas e depois faz duas quase que em sequência.
Dessa vez eu eu vou falar desse mangá nacional que é Helena, baseado na obra homônima (de mesmo nome) de Machado de Assis.
Depois da sinopse, vou comentar um pouco o que achei.
Sinopse: No Brasil de 1850, o Conselheiro Vale morre e revela em seu testamento a existência de uma filha ilegítima: Helena. Essa jovem, encantadora e possuidora de um segredo, entrará na propriedade do Conselheiro e na vida de seu meio-irmão Estácio mudando-a para sempre.
A história nos fala de dilemas familiares e costumes sociais do período pré-república, numa sociedade onde a ilegitimidade carregava consigo um aspecto negativo e as pessoas eram classificadas por suas origens. Mangá no Skoob
O mangá foi feito pelo Studio Seasons, sendo publicado pela New Pop.
Já no início tem um pequeno texto dizendo que o mangá não substitui a leitura da obra original, trata-se de uma adaptação, passando a história para um outro tipo de leitura, tentando manter o máximo que se podia do original. Bom, eu não sei nada da obra original, então minha resenha vai se basear apenas do que li aqui ok?
Tudo começa quando o conselheiro Vale falece e com a leitura de seu testamento, descobrem que ele tem uma filha, cujo nome é Helena. O outro filho, Estácio, e uma tia acolhem a jovem na casa e ela passa a viver com eles.
Estácio é um rapaz comprometido com a jovem Eugênia e Helena está em busca de um esposo.
O mangá se passa com toda essa relação da chegada de Helena a casa.
Eis que isso aqui é quase parte do romantismo brasileiro e tinha que ter essa parte né?
Helena acaba apaixonada por Estácio, mas vive o dilema de nunca poder ter esse amor. Primeiro: Ele é seu irmão; Segundo: Já está comprometido. Ela decide arranjar logo um marido e acabar com seu sofrimento.
Estácio também nutre sentimentos por ela, mas acredita ser aquele amor fraternal.
Helena sempre sai para um passeio matinal a cavalo e para em uma cabana velha. Estácio decide investigar essa situação e descobre que Helena não é nada do que ela diz ser. Não tô querendo dar spoiler, mas calma, é apenas em relação a origem dela. Basicamente!
A história vai se desenrolando e claro que tudo acaba em tragédia. Sim, a Helena morre no final, deixando o Estácio desolado.
Acho que não vou conseguir reproduzir o quão belo é este mangá e esta história. Adorei ver o contexto da época, com as roupas, até nas falas e claro, os escravos que aparecem. Adorei o estudo botou até as palavras que eles usavam.
Sem contar que a arte do mangá é linda. Os desenhos são todos super bem feitos. As paisagens, as roupas, as expressões. É um detalhe a parte que acrescenta mais a história. Fico imaginando se o Machado de Assis visse isso. Não sei se ele ia gostar, é uma coisa de mais de um século a frente. (Refiro-me a mangás e animes aqui.)
Apensa de ser um mangá, como é nacional, a gente acaba lendo da esquerda para a direita, no nosso sentido ocidental. Então, até para quem não tem hábito de ler mangá fica mais acessível, pois a gente lê igual quadrinho da Turma da Mônica. haha
Helena é uma daquelas histórias clássicas românticas. Amor impossível e tragédia!
Uma releitura de uma obra num outro formato que vale muito a pena conhecer.
E juro que vou tomar vergonha na minha cara e ler o livro.
Separei algumas partes para vocês verem um pouco dos traços. (Eu acho a Helena linda!)


Bem, pessoal, é isso!
Gostaram de conhecer um pouco deste mangá nacional? Espero que sim!
Ficaram com vontade de ler? Já conheciam a obra original?
Respondam ai!
Até a próxima!

Assistindo, Lendo, Etc... #11: Junho 2018

sábado, 7 de julho de 2018

Hey, pessoas! Como vão?
Mais um mês começando e como de costume temos as atualizações do que ando "consumindo". E olha, que esse mês de Junho teve bastante coisa. haha
Bora lá, começando pelos filmes.
Tenho ficado na Netflix mesmo, porque é mais prático e eu pago né? Tem que usar mesmo!
Assisti finalmente Thor: Mundo Sombrio. Alias, tô super atrasada no MCU, deve ter uns seis filmes faltando se bobear. O que achei do filme? Olha, não ia fazer diferença se não visse.
Revi Atlantis: O Reino Perdido. Tem aquela nostalgia de infância e quando a gente cresce passa a ver o filme com outros olhos, a gente enxerga muita coisa diferente. É um dos melhores filmes da Disney. Pena que quase ninguém lembra dele.
E revi Os Incríveis, porque o 2º filme saiu agora e eu fiz isso para ficar ele fresquinho na cabeça. Assisti a continuação essa semana e sai com vontade de ver de novo no cinema.


Vamos falar das Séries agora?
Tomei vergonha na cara é assistir Avatar: A lenda de Aang. Quando passava na Nick até via um episódio e outro, mas nunca tinha parado para ver a sequência da história. Em poucos dias acabei em três temporadas e pelamor, alguém desliga meu crush pelo Zuko.
Estou vendo Boku no Hero Academia, que é o shounen da galera. É um anime de academia de super heróis, bem Sky High mesmo que lembra - a mim, pelo menos. Episódio 16, Temporada 2.
E claro que a dorameira está vendo dorama. Dessa vez é Strong Girl Bong-Soon, que é sobre uma menina que tem superforça e precisa usá-la para o bem. O dorama também tem um lado policial, acontecendo uma série de sequestros de moças jovens. Enfim, o dorama tá maravilhoso e só quero que meu shipp fiquei junto no fim. Episódio 11.
Também assisti uns episódios desse documentário chamado Geek. É nacional e fala um pouco sobre o mundo nerd e o mercado, sobre eventos. Essa área que é a minha cara. Episódio 5.


E a leituras!
Finalmente terminei as que citei no mês passado: Passagem para a Escuridão - que teve resenha aqui no blog - e Helena - que terá resenha aqui em breve.
Agora estou lendo A Lua por Testemunha, que é um romance espírita, mas que tem como pano de fundo a época dos Sultões e eu tô adorando muito.

Também chegou presente aqui em casa, do colega autor: Davi Paiva.
São duas antologias que ele organizou: Monstros entre nós e Guerreiros. Ansiosa para ler!

Indo as músicas...
Esse mês teve até pouco, eu diria.
Foi single novo da Minorin (Minori Chihara): Remained Dream, que tá simplesmente maravilhoso! Uma pena não ter visto o PV completo ainda. Preciso! Mas, sério, ouvi umas 10 vezes já.
Tem o Square Up da girlgroup coreana BLACKPINK. Uma pena ser só um mini álbum, mas as músicas são maravilhosas, especialmente Forever Young.
E o single do Beyond the Black: Heart of the Hurricane. Tô ansiosa para o álbum deles em agosto.
 

E também publiquei uma oneshot novinha no finalzinho de Junho, chamada A Dama e o Forasteiro, inspirada nos meus doramas épicos chineses que eu amo tanto.
  Sinopse: Num vila remota na China antiga, uma garota tem que    tecer um robe para seu futuro marido, que a escolhera em uma       cerimônia. Porém, ela tem a certeza que não será escolhida por     ninguém. Faltando poucos dias para a cerimônia, ela ajuda um     forasteiro ferido e o hospeda em sua casa até que se cure.       
  Nyah Fanfiction | WattpadContos Anê Blog 





E também atualizei o meu livro em publicação nas plataformas - como Nyah, Wattpad: O Diário da Escrava Amada. Postei o Capítulo 41 e o 42 (esse ontem).

Bem, pessoal, é somente apenas tudo isso referente a Junho.
E vocês? O que leram, assistiram ou até escreveram no mês de Junho? Comentem ai!
Até a próxima!
Beijos!

Kyon #40: Tag 11 coisas

terça-feira, 3 de julho de 2018
Olá, pessoal! Como vão? Estavam com saudade de mim?
Cá estou eu hoje trazendo mais um respost para vocês. Dessa vez de mais uma postagem legal que fiz no extinto Blog do Kyon. Dessa vez resolvi ressuscitar um tag super hiper ultra mega velha que eu fiz e que foi feita aqui no Shizen também: Tag 11 coisas.
Inclusive, foi a própria criadora deste blog, aka Anelise, quem me indicou para esta tag.
Algumas coisas são antigas, mas ainda acho que as respostas presentes aqui são válidas. A tag consistia em dizer 11 coisas sobre você e responder 11 perguntas feitas pela pessoa que o indicou e marcar mais 11, o que eu não fiz.
Confiram!

11 coisas aleatórias sobre mim...
  1.  Anelise é minha escritora favorita;
  2. Sou o mentor espiritual dela (vide o título do blog);
  3. Eu não ando, eu volito. (Joga no google);
  4. Eu já tive orkut;
  5. Já fui vários outras pessoas e nem me lembro de todas elas;
  6. Anelise sempre falou comigo, desde a infância;
  7. Minha cor favorita é verde;
  8. Eu adoro animais, principalmente gatos;
  9. Eu realmente me assemelho ao Kyon de Suzumiya Haruhi;
  10. Compartilho do mesmo tédio que minha protegida de vez em quando;
  11. Eu sei todos os finais de todas as histórias dela (morram de inveja).

11 perguntas de quem indicou... ("Entrevista com o Kyon" Take 2)

1. O tamanho (quantidade de páginas) de um livro importa para você?
Para mim, não. O que eu acho que realmente importa é, que independente das quantidade de páginas, o livro seja realmente bom, que ele alcance o que precisa com o número de páginas que precisar. As entrelinhas são o que importam.

2. O que te chama sua atenção na hora de comprar/escolher um livro? 
A capa, a uma primeira vista, claro! Tudo bem que existe o ditado, não julgue um livro pela capa. Mas, como qual é a primeira coisa do livro com a qual tenho contato? Sim, a capa. Se ela for bonito, me chamará atenção. Ai sim, num segundo momento, lerei a sinopse e se ele me interessa.

3. Alguma obra que gostaria que fosse adaptada para filme?
Poxa, qualquer uma da minha protegida. Principalmente As Aventuras de Jimmy Wayn ou Mutsu Ike. Mago Belo ou Super Agentes, poderiam ser animes.

4. Gosta de criar suas próprias histórias ou prefere se manter como leitor?
Eu prefiro apenas admirar, ler e degustar as histórias. Porém, já tenho algumas criadas por mim. Só que com esse trabalho de mentor complica bastante escrever.

5. Se pudesse escolher um universo dos livros para viver, qual seria?
Anelândia conta como universo né? (risos)

6. Curte ler fanfiction?
Claro que sim. Se minha protegida gosta, por que eu também não iria?

7. Como o ambiente tem que estar para que você ter uma boa leitura?
Precisa ser um lugar quieto e confortável, onde ninguém converse comigo e eu possa trocar de posição quantas vezes quiser. Pensa que é fácil se relacionar com um livro?

8. Já parou de ler algum livro? Por quê?
Eu não me lembro, mas acho que já devo ter largado algum sim. Nem tudo nesse mundo é perfeito.

9. As pessoas zelam pelos seus livros como você?
Algumas sim, outras não. Dá até raiva daquela pessoas que dobra o seu livro todinho, abre ele sem pena e nem dó. E tem outras, que tomam um cuidado, como se o livro fosse um bebê recém-nascido.

10. Algum livro que não dava nada no início, mas o no fim te surpreendeu.
Lembro quando Anelise leu Destemida. O livro tem apenas 100 páginas, ele começa bem simples, o livro é assim, mas depois, quando acaba, você fica querendo mais. Uma pena que nunca achamos os outros da séries. É tipo uma "Busca sem fim".

11. Defina-se com duas frases.
Alguém que tem muito o que aprender. Alguém que tem muito o que ensinar.

Bem, pessoal! Esse foi o post de hoje.
Estou preparando algo legal para a próxima postagem, fiquem no aguardo.
Até a próxima!
Beijos do Kyon!

Resenha #40: Passagem para a Escuridão

sábado, 30 de junho de 2018

Olá, pessoal! Como vão? Eu espero que bem!
Cá estou eu trazendo mais uma resenha para vocês. Mais um livro nacional, porque a pessoa aqui é autora e como tal também apoio e muito meus colegas autores.
O livro sobre o qual falarei hoje é de Fantasia Medieval do autor Danilo Sarcinelli: Passagem para a Escuridão. Livro que comprei na bienal com o próprio autor e até tiramos foto, mas a foto tava no celular dele e nem vi até hoje, mas tudo bem! haha
Primeiro vamos a sinopse que eu falo sobre o livro.
Sinopse: Noite após noite, as sombras travam uma batalha silenciosa pela alma do jovem príncipe Lúcio Dante. Há poucos dias de seu aniversário de dezoito anos, Lúcio se vê envolvido em uma série de eventos que o farão questionar tudo que sabe sobre si mesmo e sobre sua origem. Um atentado contra sua vida coloca a família real em estado de pânico, em especial às vésperas do regresso de seu tio César, o príncipe exilado. O fanatismo inconsequente de César levou seu pai, rei Augusto Dante, a bani-lo do reino e agora ele retorna, trazendo na bagagem um segredo capaz de mudar o destino da humanidade. A guerra contra os seguidores das trevas está para recomeçar e ambos os lados buscam seus reforços. Quando o sol se põe no paraíso, será preciso muita coragem para seguir em frente e enfrentar a escuridão. Livro no Skoob
Passagem para a Escuridão conta a história de Lúcio Dante, que faz parte da linha sucessória do Reino da Tibéria. Ou seja, Lúcio é um príncipe.
Ele é órfão de pais, sendo criado pelos os avós. Sua mãe morreu no parto e seu pai sofreu um acidente no mar antes dele nascer.
Ele está prestes a atingir a maioridade e descobrir muita coisa sobre si mesmo.
Dez anos antes, seu tio e também príncipe, César Dante, acusou a família Martino - que é uma das famílias mais importantes do reino e também o Pai de Lúcio é um Martino - de ser adoradora do Demônio, mandando-os para a fogueira. Em meio a confusão em praça pública, Lúcio quase foi morto e seu tio foi exilado por seu avó e rei: Augusto Dante.
Porém Augusto percebe que seus dias estão contados e com o aniversário do princípe Lúcio chegando, aproveita a ocasião para trazer o filho de volta a Tibéria.
Lúcio é um jovem cheio de energia e com muitos sonhos, a começar que não tem pretensão de subir ao trono, então ele acredita que poderá ser livre e casar com quem quiser. Ele está enamorado com um das criadas - e amiga de infância: Pandora.
Eis que a partir daí, como todo livro é, começa a treta. Lúcio tem sonhos estanhos, em que um demônio o chama para seu destino e ele não entende bem o que é. E existem pessoas que querem acabar com a vida de Lúcio.
César Dante retorna do Exílio e traz consigo um artefato famoso: O Grimório de Constâncio. Constâncio foi um herói que utilizou o grimório - que lhe foi dado pelo Deus do Sol Ravi - para confeccionar uma espada que fosse capaz de derrotar o demônio Arkhmal. E com isso, César quer provar que é merecedor de suceder o trono.
Muitos ficam felizes com o retorno de César, especial a rainha Lívia Armina, que acha que tudo o que aconteceu uma enorme injustiça.
Mas, claro, nada segue da forma como a gente espera. Primeiro que César não é lá flor que se cheiro, ou melhor, ranço define apenas! Segundo que tem um enorme plot twist sobre a real origem de Lúcio, que muda totalmente sua percepção sobre a situação dele. Só não posso contar, porque é realmente algo importante e que tira uma certa graça do livro, mas eu fiquei chokita quando aconteceu.
O livro se divide em três partes: A Águia Dourada, Noite de Festa e Céu Carmesin. E cada uma delas conta uma parte da história, sendo a primeira uma apresentação, contando sobre o universo em que a história se passa, sobre o Lúcio, Pandora e outros personagens, que são todos muito cativantes, especialmente a Diana e do Marco. (Best canal que eu shippo mesmo!)
E claro, por se tratar de uma trilogia provavelmente, nada terminou aqui. Alias, mal começou. Então, tem muita coisa ainda para acontecer, mas posso dizer que sim estou uma guerra e o Lúcio vai ter que brigar pelo trono.
A edição do livro é linda, tanto a capa quanto a diagramação. E a escrita do Danilo é bem fluida, dá para ler tudo de uma só vez e sem se enrolar muito.
Admito que só fico um pouco perdido em meio a tantos personagens, eu vários vezes tinha que forçar minha memória para lembrar quem o tal fulano. Mas, isso é coisa característica deste tipo de livro mesmo, eu é que não sei lidar com um penca de personagens de uma vez.
Eu amei conhecer esta história e sim estou ansiosa pelo que vai acontecer. Quero treta, quero guerra, quero luta! É isso!

E como sempre, a resenha em vídeo, onde eu acabo falando uma coisa ou outra diferente da resenha escrita.
Até a próxima! =D