Resenha #20: Croquis

sábado, 16 de janeiro de 2016

Hey, Minna-san! Anelise trazendo mais uma resenha aqui no blog.
Pois é, meu ano começou bem nas leituras. Decidi tomar vergonha nessa cara e começar a ler o que eu comprei na bienal no ano passado. E tecnicamente li ano passado, no dia 31 de Dezembro.
E nada melhor do que começar com um mangá e com um yaoi. (Não tem nada melhor nessa vida. Nem Shoujo! hahah)
Enfim, segue a sinopse e depois falo sobre.

Sinopse: Nagi tem um trabalho de meio período como modelo numa escola de arte e ultimamente ele vem notando o olhar de um aluno em especial. Kaji parece bem amigável, mas Nagi tem medo de revelar seu maior segredo: Ele é uma drag queen e está guardando dinheiro para fazer grandes mudanças! Será que Kaji aceitará Nagi como ele é ou ele será esnobado novamente?

A história sobre a qual a sinopse fala é só uma das três que tem dentro desse volume.
A principal é justamente a deles: Nagi e Kaji. Nagi é, além de modelo na escola de arte, uma drag queen. Isso durante a noite. E o motivo para ele estar trabalhando como modelo? Ele quer pagar uma cirurgia de implantação de seios. Isso foi um detalhe que ficou confuso no mangá. Ele era drag ou era trans? Pode até ser que ele queria coloca por conta do trabalho na boate (não lembro se é boate mesmo.). Mas enfim...
Um dos alunos, Kaji, acaba chamando a sua atenção. Eis que, depois de uma brinco que não foi tirado faz Kaji descobrir o segredo de Nagi. E assim começa a relação deles.
Achei a história bem fofinha e engraçada. E sim, habemus casal no final.
A segunda história, Do meu Primeiro Amor, foi a que mais gostei. Por ser um drama sobre dois amigos que se gostavam, mas nunca rolou nada entre eles. São eles o Tori e o Kamota. Eles eram amigos no ensino médio e durante uma viagem, Kamota conheceu melhor uma colega de classe e eles começaram a namorar.
Essa história é contada em dois capítulos, um pela visão de Tori, o de óculos. E o outro é na visão do Kamota. Não sei porquê diabos eles colocaram uma outra história separando as duas partes. Sinceramente, fiquei sem entender. Mas isso não atrapalha o entendimento. Só quebra mesmo o fluxo da leitura, porque você tá lendo uma coisa, vai pra outra e depois volta. (Opa, a ordem anacrônica de Suzumiya Haruhi faz isso. haha)
É muito triste ver como as coisas ficam mal resolvidas e estranhas entre os dois. O reencontro dele é meio tenso, por trazer alguns sentimentos de volta a lembrança.
A terceira história, Um Desejo para a Estrela, conta história de Sei e Daiki. É um capítulo muito fofinho, porque o Daiki é senpai do Sei e tem raiva das estrelas no céu, pois seu amor é apaixonado por elas e perde horas e mais horas observando-as. Ainda tem o detalhe de as estrelas não terem realizado o desejo de Sei: Ficar com o Daiki.
E a cena em que eles se declaram um ao outro é muito linda! E onde que é? Embaixo de uma céu estrelado.
Croquis é uma mangá para ler numa tarde meio que sem ter o fazer. É uma leitura para se divertir e ter aquele yaoizinho para ficar surtada. Tem umas cenas de lemon, mas é bem leve, só para dizer que rolou entre os personagens.
No final tem uma mensagem super fofa da autora: Hinako Takanaga. Com todos os agradecimentos dela! :3

Bem, pessoal! Essa foi mais uma resenha. Como todas as histórias são curtas, se eu contar muito acaba perdendo a graça.
Até a próxima!

1 comentários :

gih disse...

Volume único???? eu preciso hahaahahha.
Ando tão afim de conhecer histórias com essa temática, que já fiquei interessada no mangá. O amor é lindo né? <3
E essa coisa de se apaixonar por amigo é tão complicado as vezes ...
Beijoooos
http://profissao-escritor.blogspot.com.br/