Switch Girl

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

E lá vou eu falar de mais um dorama aqui no blog! E é um japonês dessa vez.
E uma coisa dos doramas (e até filmes) japoneses é que eles variam da extrema comédia ao intenso drama. Não dizendo isso de uma mesma obra. Ou o dorama é um ou outro. Raramente tem um "meio termo". Posso até estar falando besteira, mas a maioria do que eu vi é assim mesmo!
Bem, vamos no dorama que vou falar hoje que é Switch Girl.
Ele é baseado em um mangá de mesmo nome e conta a história de Tamiya Nika, uma estudante de 17 anos. Ela é a mais bonita e popular da escola. Andando sempre bem vestida e arrumada.
Isso dura até ela chegar em casa, quando entra em seu modo OFF. Então ela veste moletom, coloca óculos e prende o cabelo de um jeito muito engraçado. Ela se comporta de forma completamente oposta do que no colégio. (Alias, a família toda tem modo OFF.)
Poucas pessoas sabem do seu segredo, apenas a família e a melhor amiga: Nino.
Só que um belo dia, ela sai em seu modo OFF para comprar pepinos para a mãe fazer o jantar, vai no mercado perto de casa, aproveitando a promoção de ser pagar um valor único pela quantidade de pepinos que consegue colocar em um saco.
Ela então vê um garoto, muito lindo por sinal, que está aproveitando a promoção de forma errada e acaba se metendo e coloca mais de trinta pepinos em ambos as bolsas. Na volta para casa, ela descobre que o tal mora no mesmo prédio que ela, mas acaba deixando isso para lá. (Gente, até peidar perto dele, ela peida.)
No dia seguinte, na escola, aparece um aluno novo, Kamiyama Arata, escondido debaixo de óculos fundo de garrafa. Nika descobre que aquele garoto é o seu novo vizinho e que ele também se esconde. Obviamente, ele também percebe quem ela é na hora.
E começa a desenrolar dai. Eles tentam ficar juntos e esconder suas verdadeiras aparências do mundo, por motivos diferentes.
O humor é exagerado justamente por ser baseado em mangá e é bem do estilo mesmo. Apesar disso não combinar muito com live action.
O dorama tem duas temporadas, com oito episódios cada. Bem curtinho mesmo.
Tenho um detalhe a citar: A jogada engraçada que fizeram quando houve a troca de atriz para um personagem. No caso foi a "Rainha Macaco". Eu ria demais quando eles diziam: Mas quem é essa?
E ela respondia: Eu sou a fulana.
Ainda tem o detalhe da linda da Nana Mizuki cantar os temas das duas temporadas com Love Brick e Happy Go Round!
Foi muito bom de assistir! Ri e me diverti bastante! E teve bastantes beijos. haha
Quem gosta de uma comédia romântica é recomendadíssimo.
E ainda lerei o mangá, aproveitando também que ele já acabou no ano passado.

2 comentários :

gih disse...

Oiiii Ane, tudo bem? Não conhecia esse dorama ainda, mas adorei o tema. Acho que deve ser bem engraçado vê-los tentando ficar diferente e fugir das aparências, hhhhhahahahha
Mas vai dizer, td mundo tem o modo off em casa né?
Beijooos
http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

Francine Porfirio disse...

Que legaaaal essa história!
Eu sempre vi o mangá por aí e nunca me interessei em ler. Agora, com a sua breve resenha sobre o dorama, noto que vale a pena conhecer a história. Tanto o mangá/anime quanto o dorama já estão anotados entre as dicas que você me ofereceu, haha. Menina, faz tempo que não assisto dramas. Uma pena… :(

Beijos, flor!
http://www.myqueenside.blogspot.com