Resenha #8: Destemida 1,2 e 3

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Vamos falar de mais livros aqui no blog. E dessa vez em triplo!
Falarei sobre uma outra série que eu gosto bastante: Destemida. Eu a li pela primeira vez aos 16 anos e me apaixonei. Só tive oportunidade de ler outros dois da série no ano passado. Ainda faltam quatro livros para acabar. Sim, a série tem sete livros!
E vou fazer de um jeito diferente, vou colocar a sinopse e falar de cada livro separadamente.
Bora lá!

Sinopse (Livro 1 - Os olhos do dragão): Em Ashby, não havia melhores caçadores de dragão do que os Quench. No entanto, a família entra em decadência depois que o Conde Negro invade a cidade. Lily, a última descendente desses bravos guerreiros, é chamada a entrar em ação quando um dragão aparece
inesperadamente sobre Ashby. Para impedir a destruição de sua cidade e devolver o trono ao verdadeiro herdeiro, a garota embarca em uma aventura mágica, arriscada e cheia de emoções!


Neste primeiro livro da série somos apresentados ao universo do livro. É um medieval + moderno. Eles trajam roupas em estilo medieval, porém existem tecnologias que conhecemos, como os carros e a luz elétrica.
No início do livro, Lily enterra a sua avó, Úrsula, quando a Virtuosa Fogofuscante (Rainha Dragão) aparece. E como a única Quench restante, os regentes em nome do Conde Negro vão atrás dela para que ela resolva o problema. Mas a "metade Varaverde" de Lily faz com que ela seja um pouco medrosa. No fim das contas, ela acaba sendo "engolida" pelo dragão e levada a ilha onde ela mora.
E Lily tem que descobrir um modo de tirar o domínio do Conde Negro das Águas de Ashby.
O livro é bem curtinho, só cem páginas, mas conseguimos ser surpreendidos com alguns detalhes.
Vale destacar A Floresta Cantante, o oráculo e o Príncipe Alvino.
Obviamente, tudo acaba na perfeita paz!

Sinopse (Livro 2 - As Montanhas Negras): Nas Montanhas Negras, não há nada além de neve, gelo e tempestades. Mas é lá que se encontram os lírios azuis, as flores que podem ajudar Lily Quench e seus amigos a derrotar o terrível Conde Negro. Junto com a Rainha Dragão, Lily embarca em uma missão arrepiante para trazer os lírios até Ashby. As duas amigas precisam chegar até o terrível Precipício do Dragão, onde terão de enfrentar seu maior medo...! 

Este segundo livro começa na sequência do primeiro, mostrando a reação do Conde Negro ao perder o domínio do território de Ashby. E obviamente ele soube dos rumores acerca da criatura que ajudou-os e que o Conde entende como uma nova arma. Não deixa de ser isso mesmo.
E Lily descobre outra coisa para acabar com o Conde Negro, os Lírios Azuis, o suco dessas flores é capaz de cortar fogo. Porém, parece que os próprios parceiros do Conde Negro estão contra ele, tem um golpe rolando por baixo dos panos.
Descobrimos muitos mais personagens e somos mais cativados pelos antigos.
Vale destacar Gordon, o filho do Conde Negro, e as próprias Montanhas Negras e as coisas que assombram o lugar.

Sinopse (Livro 3 - O tesouro do castelo do pântano):  Lily Quench, a última descendente de uma importante família de caçadores de dragão. foi raptada e acabou voltando no tempo através de uma passagem mágica. Agora, ela precisa encotnrar o tesouro do Castelo do Pântano - e uma maneira de voltar para casa. Mais uma vez, Lily vive várias aventuras - é trancada em um calabouço, atacada por um dragão e acaba contando com a ajuda de sua pentabisavó. Além disso, a garota descobre que alguns inimigos às vezes podem transformar-se em amigos - e que velhos amigos podem, de uma hora para outra, tornar-se inimigos...

Este livro da série acontece uns meses depois do final do anterior. Temos um novo príncipe de Ashby a caminho. (SEGURA O SPOILER!)
Rei Leonel e Rainha Evangelina foram visitar Lily em sua ilha, que fica próxima da "casa" da Rainha Dragão. Durante a noite, Lily é raptada por um grupo de pessoas que vieram de um poço antigo que tem na ilha. Ela é levada de volta ao passado, na época em que sua família estava no auge.
A menina consegue deixar pistas e o Rei Leonel acaba caindo atrás dela.
Eles devem descobrir um jeito de voltar para o seu tempo sem causar nenhum furo temporal e também o tesouro do Castelo daquele pântano, a fim de ajudar o reino de Ashby a se reerguer mais.
Conhecemos novos personagens, alguns que foram apenas citados anteriormente dão as caras e alguns nos surpreendem a mostrar que o tempo não passa igual em dimensões temporais e podem reaparecer bem mais fortes do que antes. (Essa eu segurei para não dar spoiler.)

E agora, eu separei alguns trechos para vocês:

"- Acho que o senhor precisa de uma Quench - disse Leonel.
- Um "quente"? Como assim um "quente"?
- Não um "quente". Um Quench - Leonel falou mais firme..." (Livro 1, Pág 10)

"- Minha criança, você esqueceu o Óraculo. O preço pela resposta à pergunta que lhe fez desistir da coisa de maior valor para você no mundo todo. A Floresta Cantante está fechada para você para sempre. Nunca mais poderá retornar." (Livro 1, Pág 63)

"- O que mais dizer da Srta. Moldávia - disse a Rainha Dragão, mastigando o último dos tanques do Conde Negro - Aquela mulher me deu a indigestão mais pavorosa que já tive." (Livro 1, Pág 97)

"- Prometa, Ângela. Prometa que ficará comigo.
Ângela ficou um instante em silêncio.
- Eu prometo que sempre o amarei, Gordon - disse ela, passando o braço em torno dele, puxando-o para si. Mas, no fundo do coração, o garoto sabia que aquela promessa não fora exatamente a que havia pedido. Era mais fácil, entretanto, se enganar e fingir que foi aquilo mesmo que Ângela tentara dizer." (Livro 2, Pág 55)

"- Isso mesmo, mãe - confirmou Evngelina - Leonel e eu vamos ter um bebê. Não sei por que você está tão surpresa.
- Não me passou pela cabeça que ele fosse chegado a essas coisas - respondeu Cristal.
- Mãe! - berrou Evangelina - Você podia fazer de conta que ficou satisfeita!" (Livro 2, Pág 109)

"- Claro, Rainha Dragão. Estou bem, apenas cansada.
- Trate de descansar quando achar que é necessário. - a Rainha Dragão parecia preocupada - Claro que não sei muita coisa sobre os seres humanos, mas, quando um dragão bota um ovo é um processo exaustivo. Nós colocamos um ovo a cada 300 ou 400 anos, e leva uns 20 anos para o bebê sair da casca." (Livro 3, Pág 47)

"- É sério? Teria me dado o que eu pedisse? - perguntou Lily.
- Claro que sim. Você não dividiria o seu jantar com um amigo?
- Nunca vi as coisas por esse ângulo - disse Lily.
- Talvez por isso os seres humanos e os dragões tenham tido muitas desavenças ao longo do tempo - disse a Rainha Dragão - Seria bom se as coisas pudessem ser diferentes.
- As coisas já estão diferentes - disse Lily, e ela olhou para suas mãos, que estavam apoiadas na muralha do castelo, e sorriu." (Livro 3, Pág 104)

Bem, espero que tenham gostado.
Quem sabe quando ler os outros livros da série não faça mais review deles. haha

0 comentários :