Resenha #37: Pule, Kim Joo So

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Olá, pessoal!
Cá estou eu trazendo mais uma resenha aqui no blog. A primeira do ano - em fevereiro. haha
Vamos começar o ano com #EuApoioaLiteraturaNacional, com mais um livro que eu estava louca para ler: Pule, Kim Joo So. Meu namorado lindo me deu de presente de aniversário! <3
Bora para a sinopse e depois falo um pouquinho.
Obs: Vai ter spoiler. Muito! Já avisando.
Sinopse: O que você faria se precisasse escapar da sua própria vida? Uma história inspirada em dramas coreanos.
Marina vive em Curitiba, atormentada pelas agressões do ex-namorado. So vive em Seul, preso a uma culpa da qual não consegue se livrar. Em mundos tão distantes, mas carregando dores parecidas, a história dos dois vai se cruzar e fazer com que eles finalmente tomem o controle da própria vida, encontrando o ponto de virada que sempre buscaram. Pule, Kim Joo So é uma história ágil e original, que vai surpreender e divertir da primeira à última linha. Livro no Skoob

Eu conheço a autora Gaby Brandalise por conta dos vídeos que ela fez lá no canal do Dramafever. Já a vi por ai pelo facebook também e claro, vi o início da publicação deste livro lá no Wattpad. Nunca cheguei a ler, mas vontade não me faltava.
Fiquei super feliz quando descobri que a história foi publicada. Então, acabei ganhando de aniversário do meu namorado, porque eu escolhi.
Mas, uma pena que minhas expectativas com o livro não foram atendidas. Sabe quando você termina de ler e fica meio sei lá. Não entendi um pouco direito!
Pule, Kim Joo So conta a história de Marina e So, que acabam se encontrando do jeito mais estranho possível. O rapaz apareceu no aeroporto de Curitiba - depois de ter pulado de uma ponte atrás de sua amiga - onde Marina trabalha. Acaba que ela o ajuda a fugir e o leva para sua casa.
Marina tem sérios problemas com um ex-namorado agressivo, que todas as noites invade a casa dela e bem... Bate nela!
Em meio àquela situação, ela e o So vão se tornando mais íntimos e rola uma tensão entre os dois. Porém, Marina acaba tentando proteger o So do tal ex, porque ela não quer que ele se envolva nos problemas dela. Só que no dia que So finalmente a defende e a salva, eles fogem e do nada vão parar em Seul.
E você fica tentando o livro inteiro entender essa loucura maluca de porquê o So consegue viajar entre cidades tão distantes em segundos. Ele tem algum super poder? Ele é o super oppa from another star? Um Amazing Boyfriend? Não!
Já na Coreia, descobrimos que ele é nada mais nada menos do que um personagem que simplesmente fugiu de sua história. Inclusive, o dorama estava no "on air", gente. Cês imagina a produtora como não tava. haha
Ele e Marina acabam ficando no apartamento do Lee Tan - aka Melhor personagem desse livro - que é o criador do So e roteirista do Dorama.
Já contei bastante, mas a história segue dai. O dilema de So entre voltar a sua história de origem ou assumir seu próprio destino. E claro, também salvar a sua melhor amiga: Eun Sang. (A tal que pulou da ponte também!)
Na verdade, eu adorei o Lee Tan e o pano de fundo dele. O passado dele é muito legal e ele de longe para mim é o melhor personagem. E gente, quando meu favorito é um secundário é que a coisa é tensa. Eu costumo muito gostar de protagonistas. Se não gosto, é porque tem algo errado.
Eu gostei da ideia do So querer assumir sua vida e deixar para o que tinha do Lee Tan nele. Porque a gente se coloca nos personagens, mesmo que não queira. Lee Tan fez isso com o So. Até na vida romântica.
E a Marina? Bem, o segundo plot twist do livro é que ela também é uma personagem de novela. E só isso! Ela e o So ficam juntos no final, mas acaba aparecendo o núcleo da novela brasileira e não se desenvolve nada disso. Poxa, seria ótimo gastar umas páginas para explorar isso. O So foi explorado, mas a Marina não, ela só continuou sendo a garota que tentava escapar do ex-namorado e trabalhava no aeroporto.
Outra personagem maravilhosa é a Ji-Hye, que é amiga de Lee Tan e convive com ele tem uns bons anos e ambos viveram uma coisa horrível no passado. Pena que o foco nela também é pequeno.
Olha, eu amo muito doramas, mas essa história não acho que tenha feito jus aos doramas que vi e olha que não foram poucos. Eu vejo doramas desde 2008. Talvez só na questão do casal Marina e So que salve, eles são fofos juntos.
A escrita da autora é maravilhosa, leve e que a gente lê rápido até. Só que em muitos momentos me perdi na leitura pelo excesso de descrições, mas isso é algo pessoal meu, que não é a maior fã da descrição exacerbada.
Adorei os capítulos serem com trechos de vários doramas como Boys Over Flowers, Goblin, Oh My Venus. Os trechos tem a ver com o capítulo em questão.
Pule, Kim Joo So tinha muito potencial para ser um livro ótimo, mas acabou se perdendo no meio do caminho, com personagens explorados, enquanto outros não e um plot que não se fechou em alguns pontos.

0 comentários :