Resenha #28: Pseudônimo Mr. Queen

terça-feira, 18 de outubro de 2016


Olá, pessoal! Mais uma resenha aqui no blog. E mais um livro de uma Book Tour.
Dessa vez de Pseudônimo Mr Queen da autora Loraine Pivatto.
E temos resenha em vídeo e em texto também. Lembram que eu faço isso de vez em quando? Pois é! Achei mais um livro que merece!
Após a sinopse, falo o que achei do livro.

Sinopse: O ano é 2012,
Dia 21 de dezembro,
E a temida profecia maia acaba de se cumprir.

Cidades devastadas,
Ruas vazias,
A população mundial bruscamente reduzida,
E a história dos sobreviventes começa a ser contada.

Os escolhidos iniciam um novo mundo, baseado nas novas regras passadas através dos sonhos.

Agora serão 2 vidas:
A primeira até os 70 anos,
A segunda, a partir dos 20 e até os 100.
150 anos no total.
Nenhum segundo a mais.

A nova sociedade começa a surgir:
Sem desigualdade,
Sem dinheiro,
Sem doenças,
Sem possibilidade de mortes prematuras,
Exceto por uma maneira.

Uma única maneira de morrer, mas que não pode ser revelada.
Um segredo que precisa ser guardado.
Para salvar a sociedade de si mesma.

O livro começa no fim do mundo, em 21 de Dezembro de 2012. Sim, o famoso dia que apavorou muitos na época. (Mas para quem passou por 1999, 2000 e 06/06/206, não foi nada. haha)
Mas, na história do livro, aconteceu algo nesse dia. O mundo foi resetado, acho que se pode dizer assim.
Algumas pessoas foram escolhidas para começarem este novo mundo e uma delas foi Regina Brandão. E é em sua família que a história vai focar. Ironicamente, seu aniversário foi no dia do fim do mundo.
Várias pessoas acordaram dentro de uma quadra de basquete sem entender nada do que ocorrera. E uns dias depois a sociedade foi se arrumando.
E como ficaria a sociedade a partir de então? Algumas pessoas, incluindo Regina, sonharam com as regras deste novo mundo. Seriam duas vidas a partir de agora, uma do nascimento aos 70 anos e outro dos 20 aos 100. Sem doenças, sem acidentes, todos os segundos de vida seriam iguais para todos. E também haveria igualdade para todos. O direito a moradia, comida, entre outras coisas, desde que trabalhem seis horas em uma função, servindo a nova sociedade.
O processo de envelhecimento era só físico, não havia os "problemas" da velhice.
Porém, nos primeiros dias algo estranho acontece: Uma pessoa tenta cometer suicídio. Só que a cabeça da pessoa cresce e o resto do corpo é sugado e ela some, reaparecendo uns dias depois sem que nada tivesse acontecido e sem recordar nada, assim como as pessoas que assistem a cena e logo esquecem.
Só que com Regina foi diferente, ela não esqueceu e achou estranho isso. Uma outra sobrevivente, Lúcia. Também tem o detalhe que ela é capaz de ver objetos de todas as vidas.
E assim a história vai correndo. Com as duas e futuramente os seus descendentes, tendo que proteger os segredos desse mundo, especialmente o segredo da morte. No início, nem algo tão problemático, mas se torna após a ambição de um dos personagens aparece mais a frente.
Além da história de Regina, seguimos também a neta dela, Larissa e a filha de Larissa, Vitória. Três gerações de uma mesma família. (Sendo que Regina não teve filhos, mas criou a filha da grande rival como sua.)
A passagem da primeira para a segunda vida é algo bem tranquilo. Ao dar a hora de nascimento, a pessoa simplesmente desaparece e reaparece já na outra vida, rejuvenescido. E as vidas conseguem se comunicar entre si, passando inclusive que as penas judiciais possam ir de uma vida a outra.
As cidades e locais se mantiveram os mesmos, apenas com mudanças de nomes para o de alguém importante de lá. Alberto Pereira, por exemplo, que é a antiga São Paulo. Alguns prédios foram desaparecendo e qualquer coisa de luxo e que diferenciasse uns aos outros, sumiu em poucas horas. Apenas casas semelhantes e locais públicos permaneciam.
Com o passar dos anos, surge a tal pontuação TUV, que classifica as pessoas de acordo com as suas capacidades. E aquilo se torna a nova obsessão do mundo: Uma boa pontuação na TUV significava ter um ótimo status social. As pessoas brigavam pelos seus pontos, com tudo o que se possa imaginar. Inclusive com a rede social: o happiness book (Livro da felicidade, em tradução literal.)
E os artistas são os mais consagrados deste mundo, pois sua obras aumentam suas pontuações na TUV, podendo usar até pseudônimos. Caso fracassassem, não haverá problemas. E com o passar dos anos surge um artista excelente, o Mr. Queen apareceu. Suas letras e músicas viraram uma febre e ninguém sabia quem era por se tratar de um anônimo.
E toda essa "treta" gira em torno dos ex-namorados de Larissa: Paulinho e Júnior. Uma obsessão e briga entre os dois, especialmente pela Larissa. Júnior quem escreveu a letra da música, mas Paulinho, que era empresário a usou sob o Pseudônimo. E deixaram para revela a identidade na segunda vida. E claro que foi o maior evento que o mundo já viu.
E esse é mesmo a maior trama do livro, junto com o tal segredo da morte que tem que ser protegido a todo custo.
O livro não tem uma leitura cansativa, apesar de ser bem extenso. Algumas partes são até desnecessárias, eu diria, mas não é o fim do mundo lê-las, pois não chegam a ser massantes. Cada passagem acrescenta alguma coisa, mesmo que não seja relevante a parte principal, contudo faz com que nos liguemos bastante aos personagens.
Todos eles são cativantes e tem suas peculiaridades. Cristiano anjinho, Ciça louca, Vitória determinada, entre outros. E claro, temos uma pessoa que realmente mereceu morrer no final de tudo. Bem feito! Eu fiquei em choque quando descobri o plano dele. Sério!
Pseudônimo Mr. Queen é um dos melhores livros nacionais que já li. Trata de um tema até bastante explorado, apocalipse, mas de uma foma diferente e que nos bota para pensar. Por exemplo: Talvez seja muito difícil de mudar algumas essências da sociedade, como a competição.
A autora, Loraine Pivatto está de parabéns pelo livro. Agradeço a ela por ter aceito o blog na book tour e ter me dado a opotunidade de ler esse livro maravilhoso. (E também a Gih, que indicou a book tour. haha)

E fiquem com a resenha em vídeo.

Bem, pessoal, essa foi a resenha de hoje. Espero que tenham gostado.
Até a próxima!

1 comentários :

Gislaine Oliveira disse...

Oiii, Ane. tudo?
Fico muito feliz que tenha curtido esse livro :)
Assim como você, também não costumo ler livros tão grossos, mas esse foi bem tranquilo :) E o Paulinho é um FDP mesmo hahahaha
Beijooos
http://profissao-escritor.blogspot.com.br/