Como é trabalhar nas eleições?

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

No último domingo, dia 5 de Outubro, ocorreu o 1º turno destas eleições de 2014. E no final deste mesmo mês, haverá o 2º turno.
E muitos de vocês já sabem como é quando se chega para votar lá na sua seção eleitoral. É um script já bem conhecido. Mas vocês sabem como é estar do outro lado?
E para ser bem sincera, eu conheci esse "outro lado" junto com a primeira vez que votei.
Admito que já votei inúmeras vezes junto com a minha mãe quando era infante, mas a primeira vez que votei em meu nome mesmo foi só em 2012.
E em 2012 foi também quando eu trabalhei como mesária! Vou contar mais um pouco sobre como foi a experiência. Só não garanto que lembrarei de tudo com exatidão, já tem um tempo que aconteceu.

Como foi que consegui trabalhar na eleição?
Existem duas formas. A primeira é se voluntariando para tal, a segunda é sendo convocado.
No meu caso, aconteceu o segundo, porque eu fiz o meu título de eleitora no mesmo ano. Acho que como estava "fresco", eles me chamaram.
Recebi uma ligação dizendo que fora convocada e tinha que passar lá para pegar um documento.
Nele dizia "Suplente", que é substituto. Explicaram-me que se ninguém faltasse, poderia sair de lá cedo.

E como foi no dia?
Cheguei lá umas setes horas da manhã. Havia uma outra menina, conhecida minha, que também tinha sido convocada, inclusive em mesmo cargo.
Esperamos até as oito e como faltaram duas pessoas, nós tivemos que ficar no lugar delas. Ela acabou indo para um lado e eu para o outro, até nos cruzamos algumas vezes durante o dia.
Eu fiquei um tempo em uma primeira seção, mas a tal pessoa veio e entrou, então me mandaram para a seção 505.
O que se fazia com as pessoas quando elas chegavam eram bem padrão. Pegava-se o documento da pessoa e procurava o nome, marcava para ela assinar o nome. Passava o comprovante para outra digitar o número e liberar e máquina.
Éramos quatro na sala: 1º e 2º mesárias, Secretário e Presidente. (Acho que eu era 1º mesária.)
Foi até bem tranquilo, as pessoas nesse tipo de coisa são bem mais relax mesmo.
O único ponto ruim é que antes mesmo da hora do almoço eu já estava me sentindo um total NPC. Sempre repetindo a mesma ação e dizendo as mesmas coisas. Sério, foi angustiante.
Fora isso, consegui boas gargalhadas e um pouco mais conhecimento sobre o assunto.

E o que foi que descobri a mais?
Sobre como é o processo para ir votar, que me foi útil ontem. haha
Também como é feita uma justificativa. (Mais ou menos né?)
E também sobre como é o desligamento da máquina de votação. Isso que eu achei mais legal!
Não me recordo como é exatamente, mas um código é digitado na máquina e esta imprime cinco vias de todos os votos computados por ela. Cada via tem seu destino. Uma é colada na porta, outra vai junto com a máquina. Das outras três não me recordo!

E o que isso teve de bom para mim?
Ganhei horas acadêmicas na faculdade, foram 14h, que não é pouca coisa. Um vale alimentação no valor de 21 reais, que eu usei no dia em que fui registrar um dos meus livros.
Para quem trabalha é bom que se ganham dias de folga no trabalho. Se não me engano são dois para mesário e dez dias para presidente de seção.
Você pode até "perder um domingo", mas em compensação ganha uma semana inteira depois.
Teve tudo de bom!

Admito que eu reclamei bastante quando aconteceu comigo. Mas eu tive um bom troco e só recebi ao invés de perder!
E eu servi de alguma coisa para esse Brasil. Então, por favor, não me chamem de inútil. =D

4 comentários :

Ricardo Biazotto disse...

Não sei se é possível comparar, mas acredito que essa experiência seja semelhante ao de servir o exército. Todos querem evitar, mas quando são obrigados a isso, passam a ver como uma experiência inesquecível.
De qualquer forma, apesar dessa sensação de "NPC", acredito que pode ser interessante. Pelo menos, como você bem disse, trabalhar durante um único dia é fazer muito pelo nosso país. :D

Abraços,
Ricardo - www.overshockblog.com.br

gih disse...

Oiii Ane, tudo bem? Legal saber um pouco mais sobre isso. Eu não sabia como funcionava.
Jah quis trabalhar como mesária, mas ai acabei desistindo. E agora com marido, filhos, roupa pra lavar, costurar, fraldas para trocar.... kkkk, n, n. nada disso. Não tenho filhos e tenho só um namorido, kkkk. eh preguiça ir lá mesmo no domingo.
Embora a sensação de trabalhar por esse país que eu amo (muitoo, muitooo) deva ser muito boa.
Beijooos
http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

Isabelle Bissoli disse...

Parece ter sido facil e super vantajoso!!!
Amei saber mais como funcionca
http://surejustnot.blogspot.com.br/

Francine Porfirio disse...

Que curiosidade legal, Ane! Eu não sabia como era o processo e quais as vantagens. Nunca perguntei também, mas acho que não reclamaria se fosse convocada. Isso porque acho interessante participar desse tipo de evento tão importante.

Valeu a dica! E parabéns por cumprir com uma responsabilidade tão grande e aprender com ela. <3

Beijos!

http://www.myqueenside.blogspot.com