Precisamos falar sobre... #5: Uniforme sem gênero e Novo ensino médio

sábado, 24 de setembro de 2016

E lá vamos nós de novo com mais um post deste tipo. Eles sempre se fazem necessários! :3
Polêmicas e mais polêmicas nessa última semana. E serão sobre dois assunto que falarei.
A primeira delas foi sobre o uniforme do Colégio Pedro II, uma escola super tradicional e antiga finalmente tirou o gênero dos seus uniformes.
Ano passado até ocorreu um protesto dos alunos, onde todos usaram saias para apoiar uma menina transsexual que foi proibida de utilizar o uniforme conforme o gênero que se identificava. Enfim, a escola fez o que devia ter sido feito tem anos: deu liberdade aos alunos utilizarem o que quiserem, seja calça ou saia. Não há mais a classificação de gênero no uniforme.
E claro que teve gente no facebook que deu aquela reclamada básica. Dizendo ser um absurdo! Sendo que as pessoas esquecem o que a palavra "liberdade" significa. E ainda querem usar do argumento de que homens não podem usar saias. Mas e os escoceses, gente? Eles usam saia.
E isso me levantou uma questão na cabeça: Roupa precisa de gênero? Ou determina o gênero?
E esse levantamento de "homem não pode usar saia" me fez pensar em como deve ter acontecido quando as mulheres queriam usar calças. Deve ter sido algo bem semelhante, mas hoje é absolutamente normal.
Enfim, nem saia, nem calça, nem rosa, nem azul, vai definir quem você é, vai ser uma representação disso. Homem pode usar saia e rosa, e mulher usar calça e azul. É só uma peça de roupa e uma cor como qualquer outra. E quem se incomoda, é só usar o que mais lhe convém e deixe que os outros usem o que querem. Não lhe diz respeito! Por que é tão complicado para alguns entenderem isso?
O segundo tema é sobre o "novo ensino médio" e eu faço parte do clube que está agradecendo de já ter se formado. Achei até bem legal tem essa dos alunos poderem escolher as disciplinas que mais lhe atraem, porém não gostei da retirada de artes, educação física, filosofia e sociologia.
Admito que reclamava e muito de ter as duas últimas quando estava no ensino médio. Porque eu realmente não via uma utilidade para aquilo, não naquele momento. Só atualmente que eu percebi o quanto essas disciplinas me foram importantes. Eu só consigo fazer posts desses tipo porque eu penso bastante antes de fazer e foi isso que elas me deram: Capacidade de pensar detalhadamente e analisar uma situação seja pessoal ou da sociedade.
E já com essas disciplinas, lá na época em que fiz estágio de letras, em 2011/2012, eu percebia que os alunos não tinham lá tanto pensamento crítico, imagine agora que essas matérias serão retiradas? Quero nem ver!
Ainda lembro uma vez, alias, da vez em que eu fui expulsa do estágio que fazia, porque incentivei os alunos a fazer um abaixo-assinado, pois eles realmente tinham um pedido pertinente. Vou explicar!
Por motivos de evitar que os alunos colassem, os donos do colégio colocaram todos os alunos para fazer prova no pátio, todos juntos e misturados lá mesmo. Assim todos supervisionariam melhor. (Sinceramente, eles não confiavam nos alunos.)
E perto da época de provas seguinte, havia uma obra na rua, onde literalmente abriram a rua para trocar a tubulação e era bem em frente a escola e por conta da poeira e do barulho das máquinas os alunos se preocuparam por conta de pessoas com alergia ou até do barulho tirar a concentração. Eles reclamaram na sala durante a aula e sim, na minha humilde opinião, eram bons argumentos. Então "dei a ideia". E uns dias depois do furdúncio (tudo naquele lugar dava merda, sinceramente), comentavam na secretaria sobre e eu, na minha inocência, falei que fui eu quem "deu a ideia", mas claro entenderam do jeito errado, como se eu quisesse prejudicá-los, mas não era isso.
Acabou que eu fui expulsa do estágio e me senti culpada por ter sido honesta. (O mundo cobra honestidade, mas não aceita lá tão bem.)
No fim das contas, pensei no quanto isso que eles fizeram comigo era o que eles pensavam sobre como os alunos deveriam ser: pessoas alienadas, que só acatam as decisões, mesmo que estejam na pior merda possível. Porque não verão na merda em que estão porque não pensam e nem analisam.
São pessoas que passaram a vida na decoreba e nunca realmente pararam para pensar.
Na real, tinham bem mais problemas naquele colégio, como muitos alunos que deviam ter reprovado umas três vezes foram aprovados por pena do dono da escola. Na cabeça dele: Pobres dos pais que pagaram o colégio o ano todo o filho ser reprovado.
E assim acontecia da criança chegar ao 9º ano sem saber coisas do 6º direito.
Mas, ter saído daqueles estágio foi a melhor coisa, porque fui para o melhor de todos depois.
Desculpem ter falado demais, mas queria ilustrar com o que me aconteceu os meus pensamentos.
Até a próxima!
 

1 comentários :

Gislaine Oliveira disse...

Oiiii Ane =D
Amo postagens assim ahhahah
Eu comemorei essa coisa do uniforme. Não compro roupa pelo gênero, então acho isso o máximo =D Quando fui trocar de armação do óculos, a moça não queria me vender, alegando que a armação escolhida era masculina, acredita? Oi?????
Tempos atrás (muito tempo atrás kkkk) eu ficava com um menino mais velho e a gente foi comprar um cinto pra ele. Daí ele escolheu um dourado, cheio de lantejoulas, maravilhoso hahah. Daí a vendedora: "mas esse cinto é muito gay" e ele "muito gay mesmo?" e ela "muito" e ele "ótimo, então vou levar" e ainda me deu um beijão que é pra mostrar que pegava mulher e usava lantejoulas se quisesse hahahhaha
Nunca esqueci isso e isso me ajudou pra caramba a pensar como penso hoje =D
Sobre a reforma....
Não pesquisei a fundo, confesso. Mas parece que não serão os alunos que irão escolher. Se assim fosse, acho justo. E essa coisa das matérias... na minha escola, filosofia era pintar. Sério! O professor vinha com desenhos da turma do sítio do picapau amarelo e passávamos a aula pintando.
É pra rir ou chorar?
Infelizmente, muitas escolas não dão valor a essas matérias.
E o governo? O governo não quer que ninguém pense, pois pensar é temeroso :(
Beijoooos
https://profissao-escritor.blogspot.com.br