Kyon #19: Minha Protegida e a música

terça-feira, 21 de março de 2017
Olá! Kyon aqui. 
Como vão? Eu estou bem! :3
Hoje vim trazem um post do antigo Blog do Kyon, lá do ano de 2014, falando sobre a relação da Anelise com a música. Pensei em fazer este repost porque é sempre um tema recorrente por aqui no blog e acho que ela nunca lhes explicou realmente qual a relação da música na vida dela. É ainda mais importante do que pode parecer para vocês.
Alias, considero esses meus posts antigos tudo uns textos que eu gosto bastante.
Sem mais enrolar vocês, bora lá!

Minha protegida e a música

Todos nós temos uma relação com a música desde que nascemos. Se bobear até antes disso. Afinal, o que se faz para colocar uma criança para dormir? É, cantar. Ainda são aquelas músicas sem nexo algum.
Obviamente, quando era criança, Anelise escutava músicas infantis. Algumas coisas relacionadas aos musicais da Disney e os desenhos que assistia. Bananas de Pijamas, por exemplo. (Sim, existia cd disso.)
Por muitos anos foi apenas isso, músicas de infância e que são nostálgicas atualmente. E muitas por influência da televisão.
Até o início do ensino médio foi assim! Até que ela começou a ser influenciada também pelo meio social dela. As pessoas escutavam música de "gente normal", ou melhor, americanas.
Em 2007, graças a internet, ela assistiu Suzumiya Haruhi no Yuutsu e acabou baixando alguns Characters Songs do anime. Foi ai que ela entrou no mundo da música japonesa, porém ainda manteve o "normal".
Com o passar do tempo, ela foi se aprofundou na J-music e deixando a outro de lado, por achar que sempre era a mesma coisa. Até hoje acha isso!
Atualmente, minha protegida é totalmente japonesa nesse quesito. Os momentos em que escuta outro tipo: ou porque é antigo e ela já gosta da música ou quando é algum evento social de pessoas normais.
Do primeiro modo tá beleza! Ela ouve simplesmente por querer e lhe dá nostalgia.
O segundo modo é o que a deixa mais puta! Porque ela vê todo mundo empolgadão dançando e ela com aquela cara de bunda, justamente por não gostar e também por apenas requebrar sozinha no seu quarto.
Quem a acompanhar pela internet afora sabe o quanto ela escuta música japonesa e aumentou ainda mais por conta do Seiyuu World.
Enfim, qual a relação que Anelise tem com a música no seu dia-a-dia?
Além de ser alguma coisa boa, de um estilo que a satisfaz muito, também tem o detalhe que aquilo a completa de alguma forma. Já virou parte dela! Nunca foi uma grande fã de música nacional e americana.
Mesmo não entendendo quase nada de japonês, ela sente algo diferente ao ouvir. Tem horas que a música ultrapassa as barreiras da língua.
É uma coisa mais emocional e profunda, confusa e barulhenta como ela é. Cada música é de um jeito, não é "sempre a mesma coisa". Não é uma coisa repetitiva.
Influencia como otome, como escritora, como pessoa. Ele se desliga do mundo quando começa a tocar os "arigatos" e "sayonaras" da sua amada J-music. Algumas foram escolhidas como temas de suas histórias.
E ela tem certeza que vai ser um amor eterno! Afinal, Anelise não seria ela mesma sem a J-music.

Claro que algumas coisas mudaram desde aquela época para cá. Ela descobriu o amor pelo folk e o metal. Bem, ela já gostava do rock, mas dessa vez tá afundada nesses dois estilos, sem nunca largar a J-music e também incluiu alguns K-pop.
E vocês? Qual sua relação com a música? É algo para todas as horas ou só para alguns poucos momentos?

1 comentários :

Gislaine Oliveira disse...

Oi, Kyon. Tudo bem?
Diferente da maioria das pessoas, a música não é uma grande paixão. Não mais. Já foi durante um bom tempo, mas ultimamente música me deixa meio histérica hahahha. As batidas, os sons, me incomodam muito. O que é engraçado, porque não são as vozes, mas sim as melodias. E de qualquer tipo... claro que há exceções e momentos em que gosto de ouvir um sonzinho, mas só de vez em quando hahahha
Beijooos
https://profissao-escritor.blogspot.com.br/