Liberdade ao leitor

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Quem já leu alguma das coisas que eu escrevi sabe bem que eu evito descrever muito e seja lá o que for. Seja personagem, objeto ou cenário.
É por que eu faço isso? Preguiça? Esqueço mesmo? (Sexta no globo repórter! #zoa)
O real motivo de eu fazer isso é porque eu gosto que o leitor use a sua imaginação e veja a história (mentalmente falando) do jeito que ele quiser!
Ele pode imaginar o protagonista e mais todos os outros personagens do jeito que ele quiser, porque nenhum deles tem sua aparência descrita. Eles podem se parecer como ele quiser!
Poder incluir a si mesmo, a família e os amigos na história.  Qualquer cor de pele, de cabelos, de olhos.
E quanto aos cenários... Que a pessoa imagine locais que ela frequenta.
A rua da casa dela, a rua da escola. O seu próprio quarto, sua própria sala. Com todas as coisas que tem nelas, nos mínimos detalhes.
Assim acaba ficando com um história que é mais próximo dele, porque ele consegue se ver ali.
E sabe qual o melhor de tudo?
Não precisei escrever uma linha para isso!

3 comentários :

gih disse...

Oii Ane, tudo bem??? Adorei tudo o que você falou. Eu até coloco características, mas não exagero demais nas descrições, gosto de dar mais liberdade para quem lê :)
Beijooos
http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

Francine Porfirio disse...

Que legal o seu ponto de vista, flor!
Eu já notei que uso muito o discurso indireto do que o direto. Isso pode até cansar, mas a verdade é que gosto de descrições (nas minhas histórias). Só que não descrevo fisicamente… Até já recebi reviews pedindo mais detalhes do cenário ou das vestes de um personagem. É que as minhas descrições são subjetivas. Eu escrevo: "Sentou-se uma cadeira confortável", ao invés de dar detalhes sobre a cadeira. Entende? É uma questão de estilo mesmo… Acho que tem leitor para todos os gostos! Haha. Eu gosto de descrições, mas não em excesso ou desnecessárias.

Beijos, linda!
http://www.myqueenside.blogspot.com

Francine Porfirio disse...

Que legal o seu ponto de vista, flor!
Eu já notei que uso muito o discurso indireto do que o direto. Isso pode até cansar, mas a verdade é que gosto de descrições (nas minhas histórias). Só que não descrevo fisicamente… Até já recebi reviews pedindo mais detalhes do cenário ou das vestes de um personagem. É que as minhas descrições são subjetivas. Eu escrevo: "Sentou-se uma cadeira confortável", ao invés de dar detalhes sobre a cadeira. Entende? É uma questão de estilo mesmo… Acho que tem leitor para todos os gostos! Haha. Eu gosto de descrições, mas não em excesso ou desnecessárias.

Beijos, linda!
http://www.myqueenside.blogspot.com