As ideias que se perdem

sábado, 19 de novembro de 2016
Tem horas em que eu me arrependo profundamente de não sempre uma caderno colado comigo.
Um caderninho companheiro de todas as horas e companheiro de todas as ideias que estalam e logo somem. Com ele, com certeza, seriam ideia guardadas e aproveitadas.
Inspiração é assim, infelizmente, a gente não controla. Por isso dizemos "Momentos de inspiração". (E não tem nada a ver com respiração.)
São os momentos que as ideias simplesmente nos resolvem dar as caras, se mostrar e o pior que as safadas fazem isso de uma maneira que nos ficamos encantadas e desesperados para não as perdem. Mas também parece que o prazer delas é brincar de pique-esconde.
Elas vão parar em algum confim de nossa cabeça e talvez para nunca mais voltar.
E o gente fica triste, se revolta, se frustra, tudo por ter deixado a ideia incrível se perder.
E as vezes, se pararmos para pensar bem, a ideia nem podia ser grandes coisa. Mas se bem que ter o caderninho para anotar e garantir essa teoria depois seria muito bom né?
Mas existem ideias que são assim mesmo, elas são tímidas, eu diria. Aparecem, ter vergonha e fogem.
Temos que aprender a conviver com elas, como muitas coisas nessa vida!

1 comentários :

Gislaine Oliveira disse...

Oi, Ane. Tudo bem? Ter sempre um caderninho por perto é muito bom mesmo =D
Eu não tenho hahah, mas é muito bom. Daí sempre anoto por aí. Em um papel qualquer, no telefone ou em outros. O problema é que quase sempre perco essas anotações. Mas o bom é que às vezes encontro essas anotações por aí. E Quando é época de bloqueio, achar essas ideias é fantástico hahahha. Na verdade eu tenho até uma pastinha com vários papéis onde anotei ideias hahaha. Será que um dia vou conseguir usar todas?
Beijooos
http://profissao-escritor.blogspot.com.br/